A HISTÓRIA SEM FIM (1984)

A História Sem Fim | Die unendliche Geschichte/Neverending Story | dir. Wolfgang Petersen | EUA/Alemanha Ocidental | ★★★★

A História Sem Fim Poster

Vez ou outra eu pego um desses filmes que eu via em looping na minha infância e os revejo praticamente com o mesmo olhar, o que me tomba um questionamento sobre nossas memórias e um saudosismo furtivo. Na larga maioria dos casos, eu enxergo muito mais as razões pelas quais essas obras representaram tanto pra mim. Daí que chegamos em “A História Sem Fim”, uma coprodução entre EUA e Alemanha (na época, a Ocidental), dirigido por Wolfgang Petersen com roteiro baseado no livro homônimo de Michael Ende. Nessa revisita, o que ficou de mais notável é que o filme traz uma belíssima (embora óbvia) apologia ao escapismo, necessária principalmente para as crianças em relação ao estímulo criativo. Se eu tive sorte em algo na minha vida, foi justamente em ter a possibilidade de me preocupar muito mais com as histórias que eu “vivenciei” através de livros. Na obra, o garoto Bastian (Barret Oliver) acabara de perder a mãe e ainda sofre com os bullies da escola e o pai ausente. Ele adentra no mundo do livro A História Sem Fim e se envolve com a luta do pequeno herói Atreyu (Noah Hathaway) para salvar a terra de Fantasia do Nada (uma temível ausência de qualquer coisa) e a saúde da Imperatriz (Tami Stronach) que reside na Torre de Marfim. Certamente, você já conhece o resto da história, pois “A História Sem Fim” representou uma geração. É difícil encontrar até mesmo quem ainda não tenha uma pontada de nostalgia ao ouvir os primeiros acordes de “Neverending Story”, a música-tema cantada por Limahl. Mesmo depois de tantos anos, continuo gostando muito do filme. De seus efeitos especiais bastante convincentes para a época à maneira como a própria obra nos convida a ser participantes de toda a ação. Pode parecer absurdo, mas não lembro se vi as continuações.

Resumo
Data
Título
A História Sem Fim
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Eu assisti esse filme faz milhões de anos, ainda quando era criança – por algum motivo ele me assustava, preciso conferir de novo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *