A HORA MAIS ESCURA (2012)

A Hora Mais Escura PosterEu admiro muito Kathryn Bigelow. Mesmo. A mulher teve colhões de enfrentar o sexismo vigente no cinema autocrítico norte-americano e foi capaz de fazer seu marido comer poeira no Oscar de 2009, quando venceu o Oscar de melhor diretor e filme para seu primeiro grande sucesso, “Guerra ao Terror”.  Bigelow, nessa ocasião, pareceu estar representando uma nova tendência ao ser premiada, num indício do que o cinema do país iria explorar exaustivamente dali em diante: a paranoia pós-11 de setembro. Aqui, acompanhamos a cruzada de Maya (Jessica Chastain) em seu trabalho na CIA. Enviada para o Paquistão para trabalhar juntamente com Dan (Jason Clarke) e Joseph Bradley (Kyle Chandler), ela é uma das responsáveis pela busca tática pelo maior inimigo dos EUA, o fundador da Al-Qaeda, Osama Bin Laden. As buscas e obtenção de informações feitas pela equipe de Maya não são nada ortodoxas. A grande polêmica levantada por “A Hora Mais Escura” (Zero Dark Thirty) é a amostra do que seriam as sessões de interrogatórios utilizados pelos oficiais americanos. Logo no começo do filme, a tortura rola solta em cenas que exploram o sadismo beiram o execrável. Bigelow, que não é nada boba, chega a se preservar colocando a inscrição de que tudo o que é visto na tela foi baseado em relatos de um membro (ou vários membros) de dentro da própria CIA. Parece óbvio que todos os órgãos competentes se alarmaram e correram pra negar os fatos, o que acabou fragilizando o longa, que passou a ser chamado de leviano por se utilizar da polêmica para conseguir audiência. Jessica Chastain, em pouquíssimos minutos, fica livre para gritar, cerrar os dentes e olhar fixamente para um colega e garantir indicação no Oscar. Fora que a personagem, além de essencialmente chata, ainda é maltratada pelo roteiro, que não lhe deram o direito nem de ter vida pessoal ou embates emocionais. Não se enganem pela ladainha em torno das torturas. “A Hora Mais Escura”, se visto com um thriller político eficiente naquilo que se propõe, é um dos bons acertos dessa entressafra do Oscar. (★★★★)

3 Comentários

Postado em Cinema, Opinião

3 Responses to A HORA MAIS ESCURA (2012)

  1. Pois é… como encontrar alguém como Bin Laden de outra forma? O filme é bela experiência do jeito que é… e aquele final é uma das coisas mais tensas que vi no cinema ultimamente.

    Só tenho uma opinião diferente em relação a Jessica Chastain. Gostei bastante da personagem, mesmo sem vida pessoal. A obsessão dela me comoveu e acho que ela soube transmitir bem a força e o cansaço da personagem.

    Curti o texto!
    Abraços.

  2. Espero vê-lo antes do Oscar. Acho que vou gostar, pois confio muito em Bigelow.

  3. Gostei também do filme e minha nota é a mesma da sua. Não gostei da ‘visão’ que apresenta erros grotescos dos americanos como “meios” para justificar bens maiores, mas de qualquer forma, como uma produção cinematográfica é mesmo um ótimo filme.

    E sim, Bigelow é uma das maiores motherfuckers do cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>