A INCRÍVEL HISTÓRIA DE ADALINE (2015)

A Incrível História de Adaline | The Age of Adaline | dir. Lee Toland Krieger | EUA | ★★

A Incrível História de Adaline Poster

Comecei a repescagem dos lançamentos que deixei passar no primeiro semestre de 2015 com “A Incrível História de Adaline“, filme que havia me chamado atenção pelo plot pois, apesar de convencional, poderia render um filme no mínimo “assistível”. Tem aqui uma familiaridade quase incômoda com “O Curioso Caso de Benjamim Button” (2008), um dos trabalhos mais fracos de David Fincher. Porém, as semelhanças sucedem apenas no tom de fábula da obra, não exatamente na sua estrutura. Nesse caso, se trata basicamente de um romance tradicional que aborda a solidão e o medo de desafios. Tive a conclusão de que não faço parte do público que “A Incrível História de Adaline” almeja atingir. A Adaline (Blake Lively) do título é uma jovem viúva que nasceu em 1908, mas, por um acaso do destino e um acidente fantasioso, simplesmente para de envelhecer, permanecendo com a aparência de 29 anos por gerações. Em cada década, Adaline é obrigada a trocar seus documentos e assumir uma nova identidade, se escondendo de todos e renunciando amores. Sua única cúmplice é a filha (Ellen Burstyn na fase da terceira idade). A maior complicação começa quando se envolve Ellis (Michiel Huisman) e vai conhecer seus futuros sogros. Acredito que o maior problema que tive com “A História de Adaline” é a falta de empatia com sua protagonista. Adaline é bastante egoísta. Por mais que sua decisão em se manter invisível em relação à sua condição seja válida, soa artificial a sua insistência em não se relacionar. E parece um pouco estranho o fato de passar mais tempo com possíveis casos do que com sua filha, que já está com idade avançada. Entretanto, seria difícil não desenvolver esse aspecto sem desvincilhar de toda a moral da história. Antes de Blake Lively (“Quatro Amigas e um Jeans Viajante”, “Atração Perigosa“), Natalie Portman foi cotada para estrelar o longa, mas preferiu ficar quietinha se dedicando a projetos mais autorais. Está aí um filme que certamente irá conquistar o seu público quando for insistentemente reprisado na TV.

Resumo
Data
Título
A Incrível História de Adaline
Avaliação
21star1stargraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Com a distribuição adequada e dignidade com que Krieger enfrenta as convenções do gênero, The Age of Adaline (a propósito aqui eu pendurá-los site oficial com as próximas transmissões: http://www.hbomax.tv/sinopsis.aspx?prog=TTL602741) acaba sendo um acervo considerável, embora não excelente, melodrama romântico. Uma história que pode estar relacionada com as grandes bandas de romances apaixonado estilo de The Notebook (Nick Cassavetes, 2004), Message in a Bottle (Nicholas Sparks, 1999) ou uma caminhada nas nuvens (Alfonso Arau de 1995 ). No entanto, adicionando um elemento “mágico” que pode colocar mais em relação ao O Curioso Caso de Benjamin Button (David Fincher, 2009), Meet Joe Black (Martin Brest, 1998) ou Eternos série que podemos ver em nossas televisões hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.