A PAIXÃO DE JOANA D’ARC (1928)

A Paixão de Joana d’Arc | La Passion de Jeanne d’Arc | dir. Carl Theodor Dreyer | França | ★★★★★

A Paixão de Joana D'arc Poster

O valor histórico de “A Paixão de Joana d’Arc” é algo irrevogável. Produzido no final da década de 20, teve suas poucas cópias disponíveis na França queimadas num incêndio. Em 1981, um rolo original – com a versão do diretor – foi encontrado em uma das dispensas de um manicômio em Oslo, Noruega. Basicamente, o filme é uma recriação do julgamento da heroína francesa Joana d’Arc (Maria Falconetti). Com claros elementos para tornar o calvário de Joana mais aproximado com o sofrido por Jesus Cristo, a história irá detalhar tudo o que aconteceu nos momentos finais da jovem de 19 anos.

Filha de camponeses e analfabeta, Joana se vestiu com trajes masculinos e foi lutar com os franceses contra a ocupação britânica. O mais irônico é que os juízes que a interrogam são membros da própria Igreja, que forçam a frágil Joana a reconhecer sua heresia, algo que ela reluta em fazer por acreditar veementemente que está sob uma missão cristã. Não é muito difícil reconhecer a genialidade do diretor dinamarquês Carl Theodor Dreyer.

Sua proposta era fazer um trabalho em que os atores não estivessem com maquiagens, o que acentua cada falha no rosto daqueles intérpretes. Os senhores da Igreja, por exemplo, com seus enormes sulcos faciais, ganham ainda mais obscuridade, o que fica ainda mais evidente pelos planos. Repare que Joana d’Arc está sempre vista de cima, sob a égide do julgamento. Totalmente mudo (as poucas falas são ilustradas pelos intertítulos), “A Paixão de Joana d’Arc” investe nos closes para elucidar ainda mais a impiedade dos julgadores e o sofrimento daquela que viria a ser canonizada exatamente dez anos antes da produção da obra. Maria Falconetti é talvez uma das faces mais marcantes dessa gênese cinematográfica. Em época de expressionismo alemão e vanguarda francesa, foi preciso Dreyer explorar os palcos teatrais da França para encontrar aquela que seria a escolha ideal para sua heroína.

Diante de tudo isso, “A Paixão de Joana d’Arc” se torna, inquestionavelmente, um documento histórico, que até hoje é dissecado por estudiosos e grandes entusiastas do cinema.

Resumo
Data
Título
A Paixão de Joana d'Arc
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *