A PROFESSORA DE PIANO (2001)

A Professora de Piano | La Pianiste | dir. Michael Haneke | França | ★★

A Professora de Piano Poster

Esse talvez seja o filme mais chatinho do notável Michael Haneke, diretor que hoje se encontra com uma filmografia destacável. O problema é que “A Professora de Piano” está numa linha tênue, onde filme de arte pode corresponder a um grande equívoco de gosto duvidoso, que por algum motivo ainda desconhecido atrai prêmios, agrada a uma turma de críticos e, com isso, fãs fervorosos que usam uma viseira intelectual que os impedem de reconhecer que “A Professora de Piano”, por exemplo, está bem longe de ser uma obra-prima de Haneke. Baseado no livro da austríaca Elfriede Jelinek (Nobel de Literatura em 2004), o filme apresenta a dinâmica entre profissionalismo, descrição e sexualidade de Erika Kohut (Isabelle Huppert), professora de piano que trabalha num tradicional conservatório. Até que ela conhece um jovem apreciador de música durante um recital.  O rapaz insiste para que ela o aprimore no repertório de Schubert (1797-1828) e tenha relações sexuais com ele. Uma coisa indiscutível em “A Professora de Piano” é o trabalho esplêndido, visceral, fantástico (inclua aqui qualquer outro adjetivo para uma atriz que faz um trabalho além do impressionante) de Isabelle Huppert. Fico pensando que este papel, se caído em mãos erradas, poderia ter deixado o filme no limbo da carreira de Michael Haneke. Graças a Huppert, que ganhou o prêmio de melhor atriz no festival de Cannes, a obra teve passagem para diversas aclamações. Ela constrói e desconstrói a sua personagem de uma forma bastante impactante. Entre cenas de masoquismo barato ou um final que, de tão inconveniente em sua insistência em parecer poético e simbólico, o filme acaba dando margem demais para interpretações obscuras, que aqueles mesmos fãs que citei no início do texto fazem firulas numa tentativa frustrada de dizer que a obra é “provocativa e revolucionária”. Mas divago, para variar. Mexer com sexualidade talvez seja algo bastante particular.

Resumo
Data
Título
A Professora de Piano
Avaliação
21star1stargraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

2 Comentários

  1. Oi Tânia, tudo bem? Gostei do blog. Haneke é o cara que mais gosto. Concordo com você em relação ao filme “A Professora de Piano”. É um filme de causa e efeito, diferente dos outros de início de carreira, mas cria-se um conflito em relação ao filme “A Fita Branca”, que acho que está aquém desse citado. Acho o mais fraco de Haneke. Vamos conversar mais sobre? Obrigado. Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *