A ROSA (1979)

A Rosa | The Rose | dir. Mark Rydell | EUA | ★★★

A Rosa Poster

É. Não poderíamos falar de divas no cinema sem falar de Bette Midler. Apesar de ser muito mais conhecida por seus filmes (pelo menos aqui no Brasil), Midler na verdade é uma cantora que deu certo nas telonas. O seu talento vocal pôde ser reparado nesse “A Rosa”, que muita gente pensa ser uma biografia de Janis Joplin, mas quando assiste percebe que não há nenhuma menção sobre ela. O mais curioso é que o longa é de fato baseado na vida de Joplin, só que quando estava prestes a ser filmado, a família de cantora falecida em 1970 não liberou os direitos de sua história. A solução foi batizar a personagem central de Rose, uma alusão a Pearl, como Janis era por vezes chamada. Logo, conhecemos Mary Rose (Bette Midler), estrela do rock já estabelecida que, mesmo diante do sucesso de seus discos e shows, é solitária e ameaça férias após um concerto que está para acontecer em sua cidade natal. O problema é que seu empresário, Rudge (Alan Bates), não dá trégua para ela, não hesitando em desrespeitar as suas limitações ao ponto de jogá-la bêbada no palco. Em meio a isso tudo, Rose conhece o chofer Huston (Frederic Forrest) e com ele começa a se sentir um tanto quanto livre diante de sua vulnerabilidade emocional. “A Rosa” tem alguns trunfos interessantes. O primeiro deles, claro, é a atuação primorosa de Bette Midler, principalmente quando está no palco. Além disso, ela conseguiu prevalecer uma personagem verossímil. É uma pena, porém, que o roteiro não entregue nada mais além do que isso. O diretor Mark Rydell (“Num Lago Dourado”) filmou muito melhor os shows do que a história que quis contar. Apesar de cansativo em alguns momentos pontuais, “A Rosa”, no geral, é um filme bastante satisfatório.

Resumo
Data
Título
A Rosa
Avaliação
31star1star1stargraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.