A VIAGEM DE CHIHIRO (2001)

A Viagem de Chihiro | Sen to Chihiro no Kamikakushi | dir. Hayao Miyazaki | Japão | ★★★★★

A Viagem de Chihiro Poster

Devo tomar muito cuidado para falar sobre “A Viagem de Chihiro” sem ser unicamente pessoal. Isso porque, no Oriente, o mestre Hayao Miyazaki (diretor e roteirista da fita) é aquele cineasta que guardo extrema admiração. Não se surpreendam se eu também colocar “A Viagem de Chihiro” como uma das minhas animações preferidas, pois as razões disso são de duas naturezas distintas: racional e emocional. Da parte racional, fica difícil refutar um filme emblemático de um diretor bem sucedido (também é dele os ótimos “Meu Amigo Totoro” e “Princesa Mononoke”), a única animação a ganhar o Urso de Prata em Berlim e o primeiro Oscar da categoria a ser dado pra um anime. As especificidades técnicas não deixam botar defeito, pois são praticamente quadros pintados à mão, em boa parte repletas de elementos oníricos, psicanalíticos e mitológicos – que podem ser melhor compreendidos por orientais. Já pelo lado essencialmente emocional, a coisa toma outras proporções. O medo, por exemplo, é algo bastante particular. Nos imaginar em um mundo em que não podemos contar com nossos pais, a mercê de fantasmas e situações de trabalho servil, então, pode ser devastador. E é exatamente isso que passa Chihiro, uma garotinha que estava viajando com seus pais antes de se perderem no caminho. Ao encontrar um túnel e atravessá-los, os pais dela se transformam em porcos depois de comer alimentos encontrados numa espécie de cidade fantasma. Para voltar pra casa, Chihiro será ajudada pelo menino Haku, por quem se apaixonará. Em primeiro lugar, nunca tome “A Viagem de Chihiro” como um filme para crianças, pois não é. Seu teor fantasmagórico e de início bastante pessimista pode assustar os mais novos. A essência do filme será melhor absorvida por adultos, que já passaram por alguns dos desesperos de Chihiro, ainda que através da imaginação. As relações do real com o imaginário para trabalhar conceitos (o voo representando a liberdade) e a comunicação direta com os espectadores mais sensíveis tornam “A Viagem de Chihiro” um filme que beira a perfeição. Minha admiração pelo filme é tanta que logo mais virá uma tatuagem em forma de homenagem por aí…

Resumo
Data
Título
A Viagem de Chihiro
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Cara, muito bom seu blog. Gostei bastante de suas resenhas. A Viagem de Chihiro é mesmo um filme incrível. Foi a partir dele que eu comecei a gostar de animações japonesas, no entanto logo percebi que dificilmente alguma outra produtora fazia filmes com o mesmo peso das do Studio Ghibli. Essa beleza da arte, e a imersão no imaginário é algo que nos tira por alguns instantes daquilo que somos e nos coloca em situações de possibilidades inimagináveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *