ATÉ A ETERNIDADE (2010)

Até a Eternidade | Les Petits Mouchoirs | dir. Guillaume Canet | França | ★★★★★

Até a Eternidade Poster

Apesar de me envolver com os filmes, são raros os exemplos que me deixam debulhado em lágrimas. Não sinto vergonha em dizer que foi assim que fiquei ao ver “Até a Eternidade”, filme francês que demorou a chegar até nós (foi lançado há exatos dois anos em seu país de origem) e que tem uma maneira extremamente pessoal ao falar sobre amizade e todos os entrepostos que envolvem mentiras em prol de uma interação social saudável. O ator, roteirista, diretor e produtor Guillaume Canet (marido de Marion Cotillard na vida real) demonstra uma sensibilidade ímpar nesse seu mais novo trabalho.

Após o fatídico acidente de moto sofrido por Ludo (Jean Dujardin), seus amigos, apesar de sentirem-se extremamente preocupados com a situação, decidem continuar com os planos de veraneio. Mesmo parecendo um ato de egoísmo – já que vão deixar Ludo sob os cuidados de um hospital -, eles se dão conta de que não tem muito que ser feito. Assim, todos vão para a casa de praia do mal humorado Max (François Cluzet) e sua esposa. O que torna tudo mais complicado é que um dos seus amigos presentes, o quiropraxista Vincente (Benoît Magimel), revelou sentir uma estranha atração por ele. Ainda no grupo, estão o garanhão Éric (Gilles Lellouche), o abobado Antoine (Laurent Lafitte) e Marie (Marion Cotillard), que se encontra perdida sentimental e profissionalmente.

Os únicos problemas que encontrei em “Até a Eternidade” foi em relação à própria consistência que quase se dispersa em um filme longo demais. Apesar de serem 154 minutos presenciando uma ótima interação de elenco, um roteiro minimamente inteligente e uma trilha sonora esmagadora (de clássicos norte-americanos, diga-se de passagem), é uma pena que os reais conflitos e as mentiras, que resumem o tema central do filme, demorem a emergir.  O atraso, pensando bem, até vale a pena, pois foi o terceiro ato de do filme que me transformou de fato. Espero que “Até a Eternidade” seja descoberto, pois, com tantos equívocos que surgem no cinema, um filme como esse deveria ser, no mínimo, prestigiado.

Resumo
Data
Título
Até a Eternidade
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

2 Comentários

  1. Espécie de dream team do cinema francês,
    este ALÉM DA ETERNIDADE me comoveu
    e agradou bastante, sem dúvida merece ser descoberto.
    Marion Cotillard ótima, para esquecer Talia al Ghul.

Os comentários estão fechados.