ATÉ O ÚLTIMO HOMEM (2016)

Até o Último Homem |​ ​Hacksaw Ridge​ ​|​ ​dir.​ Mel Gibson ​|​ EUA​ ​|​ ​★★

Até o Último Homem PosterEu estava realmente muito interessado em ver “Até o Último Homem”, porque deveria ser realmente um trabalho esplendoroso para conseguir ressuscitar a moralidade profissional de Mel Gibson após acusações da pior espécie, que vão de xenofobia à agressão contra mulheres. Ou seja, como pessoa o cara não é flor que se cheire. O que não significa, todavia, que ele não seja minimamente bom profissionalmente. Vale relembrar que Gibson já fez trabalhos interessantes como “Coração Valente” (1995), “A Paixão de Cristo” (2004) e “Apocalypto” (2006). Todos eles exigiram um certo nível de produção, gostemos ou não. O maior problema deste filme pra mim nem é esse, e sim quando o deixa muito a desejar em diversos pontos de vista. Aqui é contada a história real de Desmond Doss (Andrew Garfield), um adventista que, em 1945, resolve se alistar para lutar na Segunda Guerra. O porém é que ele é considerado um objetor de consciência e, com isso, se nega a pegar em armas durante batalhas. Apesar de toda a pressão para desistir da carreira militar, Desmond consegue, na batalha de Okinawa, socorrer dezenas de soldados feridos. Se “Até o Último Homem” soa como um filme religioso? Sim. E muito. Mas isso é um problema? Não deveria ser. Nesse caso, o problema pega para mim quando fica um produto que deixa tudo no “quase” em prol de uma melhor aceitação do público. É pueril, lacrimoso e quase martela a eficácia de um herói americano, enquanto os oponentes (no caso os japoneses) eram os vilões quase animalescos. Só esqueceram de lembrar que a rendição se deu com Hiroshima. Por outro lado, Gibson se esbalda na sua atração pelo choque visual. E as duas ou três cenas de guerra são boas, tanto nas fuligens de sangue quanto em corpos mutilados. Porém o direcionamento um tanto quanto Clint Eastwood wannabe me incomodou mais do que devia.

 

Resumo
Data
Título
Até o Último Homem
Avaliação
21star1stargraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Não é tão religioso, é mais delafe e as crenças de um homem. Desmond não deixou tudo isso de lado para poder ir para a guerra. Andrew Garfield esta impecável. Ele sempre surpreende com os seus papeis, pois se mete de cabeça nas suas atuações e contagia profundamente a todos com as suas emoções e aqui não foi a exceção. Ele fez um grande papel. Na minha opinião, Até O Último Homem foi um dos mehores filmes de guerra que foi lançado. O ritmo é bom e consegue nos prender desde o princípio O filme superou as minhas expectativas, o ritmo da historia nos captura a todo o momento. Além, acho que a sua participação neste filme drama realmente ajudou ao desenvolvimento da história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.