BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS (2004)

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças | Eternal Sunshine of the Spotless Mind | dir. Michel Gondry | EUA | ★★★★★

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças Poster

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças”  parece querer reparar um grande equívoco: um namoro, por mais doloroso que seja, mereceria o completo esquecimento após o seu término. Ao longo do filme, sabemos que, apesar das duras penas de um namoro, os desentendimentos naturais fazem parte da dinâmica de uma relação e não substituem a melhor das fases dessa união, que é a deliciosa sensação do “estar conhecendo alguém”. J

oel Barish (Kim Carrey) fica aturdido ao descobrir que sua ex-namorada – a hiperativa Clementine (Kate Winslet) – resolveu tirá-lo de sua memória num consultório bem estranho. No Lacuna Inc., eles se comprometem a excluir determinada pessoa de sua memória com todos os momentos em que conviveu com ela, através de um mapeamento cerebral, onde são apresentados os momentos que serão deletados em questão de horas. A desilusão de Joel o faz pagar a tal exclusão sem nem pensar melhor na situação. Durante o processo, que é feito de trás para frente, ele se arrepende, e terá que fugir junto com Clementine, se escondendo em outros cantos de seu subconsciente.

Apesar de a história parecer confusa nesse breve resumo, “Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças” não é uma ficção científica enlatada. Trata-se de um filme que chega a ser poético do jeito em que foi concebido. O roteiro é de Charlie Kaufman, um dos caras mais inteligentes da atual safra de escritores surgidos no finzinho da década de 90 e comecinho dos anos 2000. É de autoria dele os igualmente bem bolados “Quero Ser John Malkovich” (1999) e “Adaptação” (2003), ambos reconhecidos pela Academia com indicações de melhor roteiro original. Aqui, ele se une a outra mente iluminada, a do diretor francês Michel Gondry, este saído dos experimentais videoclipes da cantora Björk. E

nfim, bagagem criativa é o que não falta aqui. O filme contém surpresas até divertidas, que dão maior consistência ao texto impecável e a edição primorosa do islandês Valdís Óskarsdóttir.

Resumo
Data
Título
Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

8 Comentários

  1. Jim Carrey em dramas me atinge muito. Eu até evito rever esses títutos porque acho forte demais. Mas nota 10 pra esse filme.

  2. Mto bom seu texto Adecio, parabéns!

    Eu particularmente prefiro Jim Carey em dramas mesmo…

    Acho esse filme além de criativo e diferente, uma analogia meio maluca que nos leva a pensar em muito sobre essa coisa de lembranças em um relacionamento, e se vale a pena sacrificarmos os bons momentos por conta de um final infeliz. Sem duvida, um dos melhores filmes que já vi =)

    Bjos

  3. Um filme que eu adorei e que eu preciso rever imediatamente. Foi a primeira – e até agora única – vez que Jim Carrey me agradou num filme, e eu adorei o rumo que tudo segue. Um filme incrível, para não se esquecer.
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *