CÃES DE ALUGUEL (1992)

Cães de Aluguel | Reservoir Dogs | dir. Quentin Tarantino | EUA | ★★★★★

Cães de Aluguel Poster

Quentin Tarantino é um cineasta que surgiu no momento certo. No início dos 90, o cinema americano passava por uma grande crise criativa, o que acabou dando espaço para o surgimento de jovens talentos com o desejo de se mostrarem. Tarantino ainda era um atendente de videolocadora quando foi descoberto, através de um roteiro que basearia uma produção pequena, com um orçamento irrisório e filmado em apenas um mês. Mais tarde, seria considerado um dos melhores filmes de assalto da história. Detalhe: um assalto que nem chega a ser mostrado de fato!

Com um plano quase perfeito, o chefão Joe (Lawrence Tierney) reúne um bando de homens para assaltarem uma joalheria. Os capangas são chamados por coloridos codinomes como, por exemplo, Mr. White (Harvey Keitel), Mr. Orange (Tim Roth), Mr. Blonde (Michael Madsen) e Mr. Pink (Steve Buscemi). Entretanto, uma possível traição faz com que o plano dê errado, resultando em comparsas baleados ou mortos. Num armazém, eles se reúnem após o fracassado assalto para tentar descobrir o que deu errado. Tudo isso através de flashbacks.

Quentin Tarantino já impõe uma de suas principais características logo na sequencia inicial de seu primeiro trabalho. Cena esta que, por sinal, tem ele como voz principal. Só mesmo em “Cães de Aluguel” é possível vermos um grupo de engravatados discutindo sobre a metáfora de “Like A Virgin” – primeiro grande sucesso de Madonna -, a real validade de dar gorjeta a uma garçonete ou sobre quaisquer outros devaneios cotidianos. Dali em diante, ele dá uma verdadeira aula de originalidade, principalmente no que diz respeito à construção de roteiro. Os personagens são bem delineados, sempre compostos através de suas principais características, como o sarcasmo de Blonde, o desespero de Pink e os gestos amigáveis de White.

Somente com narrações, Quentin Tarantino é capaz de recriar a ação que nem chegamos a ver como simulação. Isso é puramente técnica. “Cães de Aluguel” (que também tem uma trilha sonora brilhante, assim como em todos os filmes de Tarantino que viriam a seguir) também virou uma peça teatral de grande sucesso nos EUA.

Resumo
Data
Título
Cães de Aluguel
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

6 Comentários

  1. Uma obra-prima. Sem dúvida, este filme é catapultada para a fama por directo reconhecido como críticos aplaudiram e até mesmo seus dias é considerado um filme de culto, no entanto nas bilheterias não foi bem assim. Dois itens que caracterizam muito é a participação de Buscemi e, claro, o diálogo banal, em que os personagens masculinos estão engajados. Great!

  2. Ótimo filme mesmo. Por mais que seja excelente, ainda considero outros filmes como Pulp Fiction e Kill Bill melhores que Cães de Aluguel. Mas é Tarantino puro na curta sessão apresentada, e o filme me prendeu até o fim com toda a confusão entre os criminosos.
    Abraços!

  3. Por mais que eu adore “Cães de Aluguel”, não sei dizer se gosto mais deste ou de “Pulp”, mas acho que acabo ficando com “Pulp” mesmo, me conquistou primeiro. O que é aquela cena inicial? Lendária!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *