CÉSAR DEVE MORRER (2012)

César Deve Morrer | Cesare Deve Morire | dir. Paolo Taviani, Vittorio Tavian | Itália | ★★★★

César Deve Morrer Poster

Ver textos de William Shakespeare no cinema não é novidade há décadas. Já fica até meio demodê dizer que vai estrear um novo filme baseado numa obra shakespeariana. Por isso fiquei ressabiado quando soube que viria um tal de “César Deve Morrer”, num inevitável pressuposto de que se trataria de uma adaptação de “Júlio César”, uma das peças mais inteligentes do poeta inglês. Entretanto, ter os nomes dos irmãos octogenários Paolo e Vittorio Taviani e um Urso de Prata garantido no último Festival de Berlim já despertava a atenção.

Numa penitenciária de segurança máxima de Rebibbia, subúrbio de Roma, um teatrólogo reúne os prisioneiros para fazer mais uma encenação, que será aberta ao público. Dessa vez, a peça escolhida foi “Júlio Cesar”. Nas audições para atribuição de papéis, entre alguns talentos natos, conhecemos os atores. Entre eles, estão condenados por crimes organizados, assassinatos, assaltos, tráfico, etc. Veremos, a partir de então, a encenação da obra de Shakespeare de uma forma diferente, através de ensaios, passagens de textos, além do próprio resultado final. Por se tratar de uma penitenciária, diversos elementos de “Júlio Cesar” ganham dicotomias interessantíssimas.

O povo é representado pelos prisioneiros, as facções são grupos conspiratórios e a revolta toma a forma de uma rebelião. E aqui se encontra um dos principais méritos dos irmãos Taviani. Além de fazer essa transição de maneira eficiente, eles conseguiram tornar os pátios e celas em verdadeiros exemplos de aproveito de ambientações. Além disso, a fusão entre o cinema fictício, teatro e documentário chega ao nível da perfeição. Sim, apesar de ser a representação de uma peça de Shakespeare feita por prisioneiros e sendo vista com falas decoradas, todos os atores realmente são prisioneiros dessa unidade. “César Deve Morrer”, além da menção shakespeariana, desmistifica outro clichê do cinema no que se refere à redenção que a arte pode causar. Em uma das falas mais bonitas do filme, um dos detentos diz: “Depois que eu conheci a arte, essa cela passou a se tornar uma prisão”. Belo, sincero e grandioso.

Resumo
Data
Título
César Deve Morrer
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *