CLUBE DA LUTA (1999)

Clube da Luta | Fight Club | dir. David Fincher | EUA | ★★★★★

Clube da Luta Poster

Clube da Luta” é um resistente ao tempo. Ainda bem que não demoraram tanto para reconhecê-lo como um filme essencialmente pensante. Digo isso porque, na época de seu lançamento, só se falava das polêmicas levantadas pela obra. No Brasil, para inflamar ainda mais essa desconfiança, um estudante de medicina da Universidade de São Paulo entrou na sala 5 do cinema do MorumbiShopping com uma submetralhadora 9 mm. Atirou deliberadamente na plateia, matando três pessoas e ferindo outras quatro. O caso repercutiu horrores e serviu para causar ainda mais desconforto. Mas o que muita gente – pelo menos na época – ainda não levava em consideração era o poder afiado dos elementos questionadores que “Clube da Luta” continha.

Hoje isso é muito mais fácil, já que centenas de cinéfilos fizeram questão de transformá-lo em uma das produções mais cultuadas da passagem da década de 90 para 2000. Dirigido pelo workaholic David Fincher a partir do roteiro de Jim Uhls (por sua vez baseado em livro de Chuck Palahniuk), o filme retrata a história de um investigador de seguros (Edward Norton) que leva uma vida quase conformada para o homem moderno. Trabalha, consome e segue com suas alienações. Sua insônia faz com que ele frequente grupos de ajuda das mais variadas doenças, nos quais conhece a estranha Marla Singer (Helena Bonham Carter). Não demora muito e ele se esbarra com o misterioso Tyler Durden (Brad Pitt), um vendedor de sabão que, por força das circunstâncias, acaba recebendo o narrador em sua casa. Da amizade, surge a ideia de criar um clube no qual homens lutam entre si para canalizar todas as frustrações possíveis.

Não podemos negar que a “libertação” do protagonista é apenas ilusória, já que o anarquismo projetado com tamanha força é um preceito de destruição. Ou seja, se assistido de maneira ingênua e dogmática, as chances do filme não ser bem compreendido são enormes. E é por isso que “Clube da Luta” deve ser discutido com tamanho cuidado e em diferentes esferas, de um simples post no meu blog a uma exibição com debate em sala de aula. Incrivelmente bem dirigido (já não tem mais como discordar que Fincher é um cineasta de mão cheia) e atuado, “Clube da Luta” merece estar na lista de preferência de muita gente. É um filme de respeito justificado.

Resumo
Data
Título
Clube da Luta
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *