CONVENÇÃO DAS BRUXAS (1990)

Convenção das Bruxas | The Witches | dir. Nicolas Roeg | Reino Unido | ★★★

Convenção das Bruxas Poster

Dia desses eu estava fuçando uma loja de DVDs na Rua Augusta na esperança de encontrar um box da série “À Sete Palmos” (2001) e vi um disco de “Convenção das Bruxas” dentro do caixa do estabelecimento numa bagatela de R$110. Eu nem imaginava que fosse uma relíquia para os colecionadores. Aparentemente, a raridade pode ser justificada pelo fato de ser um filme britânico (isso torna a distribuição um pouco mais difícil) e ter sido lançada somente uma edição em 2001 sem material extra. Enfim. Tudo isso pra dizer que tal incidente me deu vontade de rever o filme, que chegou a ser exibido inúmeras vezes na Sessão da Tarde durante a minha infância e foi motivo para eu ter medo de Angelica Houston até hoje! Na revisita, me dei conta de que o roteiro é bem infantil, porém os efeitos visuais parecem não ter envelhecido tanto. Luke (Jasen Fisher) é um garotinho que perde os seus pais e passa a viver com a avó (Mai Zetterling), que não se intimida em lhe contar histórias sobre bruxas. Ao contrário do que podemos pensar, as bruxas não são horripilantes à primeira vista. Aparentam ser velhinhas dóceis, mas usam perucas para esconder o couro cabeludo purulento, sapatos baixos para disfarçar os pés quadrados e não suportam cheiro de criança. Ao ir a um hotel no Reino Unido para a avó diabética ter repouso, Luke descobre que no mesmo local está sendo realizada uma convenção nacional de bruxas, evento liderado pela bruxa-mor, Eva Ernst (Anjelica Huston). As criaturas pretendem transformar as crianças inglesas em ratos através de uma poção mágica. O desenrolar da história tem as suas pobrezas, porém a intenção é divertir o público juvenil e, por tabela, o adulto também. “Convenção das Bruxas” é baseado no livro de Roald Dahl, que ficou tão decepcionado com as alterações no filme que proibiu novas adaptações de qualquer obra sua para o cinema novamente. Entre essas mudanças, destaca-se o final que, na publicação de Dahl, não é nada feliz. Tirando essa resolução feita pra agradar o grande público, “Convenção das Bruxas” é um bom passatempo. Saudosista, divertido e ótimo palco para Angelica Houston.

Resumo
Data
Título
Convenção das Bruxas
Avaliação
31star1star1stargraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.