COSMÓPOLIS (2012)

Cosmópolis | Cosmopolis | dir. David Cronenberg | EUA | ★

Cosmopolis Poster

Cosmópolis“, o novo de David Cronenberg, faz uma crítica à contemporaneidade com Robert Pattinson como orador. O resultado: 110 minutos de puro tédio. Eric Packer (Robert Pattinson) é um megalomaníaco por essência. Com 28 anos, bem-sucedido, casado com uma bela mulher (mesmo que de fachada), dentro dos padrões de beleza, mas que tem uma próstata assimétrica. Ele decide atravessar a cidade dentro de sua tecnológica limusine. O caos estava instaurado na cidade por conta da visita do Presidente, o cortejo do corpo de um happer e uma onda de protestos de cunho anarquista. “Um rato se tornou a unidade monetária”, a citação de Zbigniew Herbert (1924-1998) será o condutor da enfadonha transformação e/ou degradação de Eric, ao perceber que sua fortuna pode estar se esvaindo ao investir na moeda chinesa. Como aviso aos navegantes que ainda não assistiram “Cosmópolis”, eu até recomendo a concepção. Baseado no livro de Don DeLillo, o filme tem uma ideia até interessante pra desenvolver. O mote de um cara que tem as informações do mundo na palma da mão e utiliza esse recurso para benefício próprio tem muito que render, para bem ou para mal. Mas o que mais me passava pela cabeça era: “Por que Robert Pattinson???”. Mais adiante, fui perceber que poderia ter uma intenção aceitável. Por ser uma obra ambientada praticamente dentro de uma limusine, o hábitat de couro de Eric Packer, o filme se tornou um tanto quanto claustrofóbico, sendo visitado por inúmeros personagens que vão desde uma prostituta interpretada por Juliette Binoche até uma inteligente analista vivida por Samantha Morton. Todos – ênfase no TODOS – os personagens possuem falas inertes, como se tivessem algum desvio de conduta, algo desordeiro. Incômodo por ser enfadonho e de estética duvidosa, “Cosmópolis” merece o título de ser um dos trabalhos mais broxantes de Cronenberg. E até Cannes, sempre tão amistosa, acabou virando a cara.

Resumo
Data
Título
Cosmópolis
Avaliação
11stargraygraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

3 Comentários

  1. Discordo! Não sou fã do Pattinson, mas ele me surpreendeu. E achei Cosmopolis o filme com mais cara do Cronenberg em anos. Há tempos ele não fazia algo do tipo! Gostei.

    • Sim! Diferente é mesmo. Mas, sei lá, não consigo entender porque o charme de Pattinson não cola comigo. Rs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.