DESAJUSTADOS (2015)

Desajustados | Fúsi | dir. Dagur Kári | Islândia, Dinamarca | ★★★★

Desajustados Poster

Me surpreende esse “Desajustados” ter estreado aqui no Brasil sobretudo num circuito bastante limitado e ter saído de cartaz tão rápido. A tentativa talvez tenha sido dada por conta do longa ter feito relativo sucesso no Festival de Tribeca no ano passado. Já deixo bem claro que isso não é uma reclamação, até porque é sempre muito bom saber que podemos contar com filmes nórdicos fazendo presença em nossas salas de cinema. Como se já se vê no cartaz do filme, o protagonista chama bastante atenção. Fúsi (Gunnar Jónsson) é um verdadeiro gigante de bom coração. Já passou dos 40 anos, mas ainda tem uma vida bastante pacata ao lado de sua mãe. Trabalha transportando bagagens em aviões e passa o seu tempo montando uma batalha de Segunda Guerra na sala de casa. Seu único amigo é o seu chefe e constantemente sofre bullying por parte dos colegas de trabalho. Nem preciso dizer que a virgindade já está inclusa no combo. Após conhecer a nova vizinha de apenas 8 anos e conhecer uma mulher na aula de dança que o padrasto o presenteou, Fúsi começa a questionar toda a sua zona de conforto. Posso até levar em consideração o fato de que “Desajustados” não é tão original assim. O filme tende a construir um personagem outsider bastante convencional, como já vimos em tantos outros filmes. Mas eu não tenho problema com tradição, desde que esta seja feita de uma maneira sincera, de modo que nos identificamos com a parte mais humanizada do personagem retratado. E posso dizer que a obra cumpre muito bem o seu papel, principalmente quando relaciona o clima gélido do contexto espacial com o sentimento de Fúsi (outro clichê, eu sei). Talvez eu tenha gostado tanto de “Desajustados” por ser uma novidade solta em meio a tantos enlatados que ando vendo ultimamente.

Resumo
Data
Título
Desajustados
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.