DETONA RALPH (2012)

Detona Ralph | Wreck-It Ralph | dir. Rich Moore | EUA | ★★★★

Detona Ralph Poster

Ralph (John C. Reilly) é o vilão de um jogo de fliperama que está prestes a completar 30 anos. Sua missão na plataforma é destruir prédios que serão reconstruídos por Felix (Jack McBrayer), o herói do joguinho, que merece todas as honrarias pelo fato de salvar o universo do Wreck-It Ralph, título do jogo. Solitário, Ralph só gostaria de ser bem tratado pelos seus companheiros. Em busca de uma medalha e reconhecimento, acidentalmente acaba no mundo colorido do Sugar Rush, onde ajudará a pequena Vanellope (Sarah Silverman) a vencer uma corrida e conseguir sair de lá com sua medalha. Quando eu digo que o roteiro de “Detona Ralph” é muito bem amarrado, é porque conseguiu desenvolver a apresentação dos personagens e os ambientes em que eles se inserem, sem deixar novas descobertas ao léu do desleixo. Isso é comprovado, por exemplo, na hora em que descobrimos a existência de um lago de Coca-Cola em que, se não tiver o devido cuidado, pode ser destruído pelos diversos Mentos fixados no teto da caverna em que vive Vanellope. Pois bem. O que poderia ser apenas uma referência bem-humorada (como a tropa de Negresco) terá a sua função no desenvolver da história. Esse é apenas um exemplo da boa interatividade de fatos que estão bem localizados num roteiro escrito a muitas mãos, liderado pelo próprio diretor, Rich Moore. Além disso, as boas sacadas em desenhar os personagens de acordo com suas origens se mostra acertada. Fix-It Felix Jr., por exemplo, possui limitações no design, bem ao modo do árcade 8-bits, enquanto Sugar Rush (inserida em um jogo mais atual) demonstra uma verdadeira explosão de grafismos, cores e expressões. Todos os elogios que posso fazer só demonstram que a equipe por trás de “Detona Ralph” são verdadeiros fãs de games, o que ajuda a tornar um filme ainda mais reverenciável.

Resumo
Data
Título
Detona Ralph
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

2 Comentários

  1. Eu comecei minha história gamer antes um pouco do Master, foi no Atari hehehe

    Os games são coisas que me acompanham desde criança e ver sua ‘evolução’ quase do início (tiveram coisas antes do Atari) é muito gratificante. Ainda existem pessoas que acham que videogame é coisa de criança, que seja, é bom saber que vou morrer criança pois pretendo continuar jogando até não poder mais. Não sou viciado nem fico preso jogando, jogo pouco, mas sempre estou jogando hehehe.

    Quanto ao filme achei muito bom, só não achei perfeito porque não consegui me emocionar ou me empolgar com a história. Acho que aquela parte no mundo da “doçura” fugiu um pouco do que estava acontecendo no iniciozinho e também do que eu esperava.

    De qualquer forma, é um ótimo filme e acredito que merecia sorte melhor no Oscar, apesar de Valente ser muito legal também.

  2. Que delícia de filme. Confesso que fiquei um pouco enjoado com tanto doce na tela rs, tanta cor e tal, mas depois me rendi e quando menos esperei, uma lágrima de repente escorreu no meu rosto. Divertidíssimo e comovente, deste ano eu não sei dizer, mas é a melhor animação lançada no ano passado com folgas.

    Abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.