DIRIGINDO NO ESCURO (2002)

Dirigindo no Escuro | Hollywood Ending | dir. Woody Allen | EUA | ★

Dirigindo no Escuro Poster

Estou na chamada fase mais fraca da carreira de Woody Allen na maratona que estou fazendo dos filmes dele. E não é mentira quando dizem que a virada do milênio realmente não foi nada glorificada para o mestre. Entre filmes absurdamente chatos (“O Escorpião de Jade”) e pouco convincentes (“Igual a Tudo Na Vida”), não foi surpresa alguma me deparar com o impropério que é “Dirigindo no Escuro”, talvez o pior dessa safra. Digo pior porque é falho em praticamente todas as suas propostas.

No filme, Woody Allen interpreta Val, um diretor que se encontra no ostracismo, tendo que viver de filmes para televisão e comerciais menores. Sua ex-mulher, Ellie (Téa Leoni), agora é casada com um grande magnata da indústria cinematográfica, e o convence de que o ex-marido é a escolha ideal para uma refilmagem de alto orçamento. Val é então contratado, mas inexplicavelmente é acometido por uma cegueira psicossomática. Ele e seu agente, no entanto, decidem dar continuidade às gravações, mesmo que, para isso, Val terá que fingir enxergar. Apesar da ideia inicial promissora, Allen toma o caminho canhestro das piadas previsíveis, repetindo-as em looping e cansando o espectador mais exigente.

A duração do filme (112 minutos, longo para os moldes do diretor) também ajuda a cansar ainda mais, porque a premissa é praticamente a mesma durante toda a narrativa: tirar sarro da situação do protagonista e revelando todas as consequências de maneira desordenada. Entre personagens completamente dispensáveis e atuações duvidosas, “Dirigindo no Escuro” foi mais um dos retumbantes fracassos de bilheteria do cineasta, mesmo que contasse com o apoio de um estúdio seguro (nesse caso, a DreamWorks de Steven Spielberg). No final, ainda é vista uma elogiosa menção aos franceses, que mais tarde serviriam de inspiração para “Meia-Noite em Paris” (2011). A boa notícia é que a sequência de filmes vexatórios de Woody Allen não se estendeu ao restante de sua carreira, já que ele criativamente renascerá ao partir para ares europeus.

Resumo
Data
Título
Dirigindo no Escuro
Avaliação
11stargraygraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *