DODESKADEN – O CAMINHO DA VIDA (1970)

Dodeskaden – O Caminho da Vida | Dodeskaden | dir. Akira Kurosawa | Japão | ★★★★

Dodeskaden Poster

Sobre “Dodeskaden – O Caminho da Vida“, o que posso tirar de lição é que Akira Kurosawa, além de ser um dos maiores expoentes do cinema tido como “humanista”, ainda consegue a proeza de se utilizar das cores como matéria-prima para evidenciar os dramas de seus personagens. Trabalho de gênio. O filme, que é baseado em uma série de contos intitulada “A Cidade Sem Estações”, de Shugoro Yamamoto, foi costurado por Kurosawa de maneira simples, basicamente episódica.

O jovem Rokuchan (Yoshitaka Zushi), à bordo de seu trem imaginário, vai andar pelo vilarejo onde vive, situado numa favela em meio ao lixão da cidade de Tóquio. Nesse mesmo antro, encontram-se personagens com dramas variados. É o que podemos perceber ao conhecer dois amigos beberrões que, por engano, trocam de esposas, um velho estranho que vive sozinho e causando medo nas pessoas, um alcoólatra que explora e abusa sexualmente de sua sobrinha e um mendigo sonhador que passa fome junto com seu filho pequeno.

Todos esses casos é – desconfio eu – produto da narrativa engenhosa de Rokuchan, chamado pelos vizinhos de “maluco do trem”. Se é verdade ou não, cada um será capaz de tirar suas próprias conclusões. “Dodeskaden” (o título vem da onomatopeia japonesa para o barulho do trem) é conhecido por ser o primeiro filme com cores de Akira Kurosawa. Kurosawa, sendo um profissional extremamente detalhista, poderia levar até dois anos para deixar a sua criação exatamente como gostaria de deixar. A obra foi considerada absurdamente dramática (e é mesmo), não rendeu nas bilheterias e decepcionou críticos orientais e ocidentais. Akira Kurosawa ficou tão arrasado, que ele tentaria suicídio no ano seguinte, além de ter ficado mais cinco anos sem lançar outros trabalhos. Esse jejum só viria a ser quebrado com o lançamento de “Dersu Uzala”, de 1975.

Em resumo, “Dodeskaden – O Caminho da Vida” foi um enorme fracasso. Em parte, eu até concordo que a obra não seja, de fato, o melhor exemplo para discutir sobre a genialidade de Akira Kurosawa – que já não é unanimidade -, mas a grande lição a ser tirada do filme, convenhamos, é passada da maneira mais linda possível.

Resumo
Data
Título
Dodeskaden - O Caminho da Vida
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *