FANNY & ALEXANDER (1982)

Fanny & Alexander | Fanny och Alexander | dir. Ingmar Bergman | Suécia | ★★★★★

Fanny & Alexander Poster

Eu sempre tive medo de “Fanny & Alexander”. Muito desse temor vinha da aura tenebrosa que o filme ainda carrega. Premiado com Oscar de melhor filme estrangeiro, a obra possui momentos intensos (os gritos de uma personagem no velório do marido, chicotadas contadas e as campainhas de relógio que Bergman tanto gosta), mas ainda assim belos. Na virada do séc. XX (mais especificamente no Natal de 1907), a família Ekdahl se prepara para mais uma confraternização. A matriarca Helena (Gunn Wållgren) aguarda a prole chegar à sua casa. Ela tem três filhos. O mulherengo Gustav, o professor endividado Carl e o diretor de teatro Oscar. Este último é pai das crianças Alexander (Bertil Guve) e Fanny (Pernilla Allwin), que serão os principais centros de narração da história. Após a morte de Oscar, a viúva Emilie (Ewa Fröling) se casa com um rigoroso pastor luterano, que controla a vida da mulher com mãos de ferro e deixa Fanny e Alexander enclausurados. Depois de perceber a grande besteira que fez, Emilie vai tentar encontrar um meio para conseguir escapar de seu marido e tirar os filhos daquela estranha casa, onde também convive com a família sinistra do tal pastor. De cara, já podemos dizer que Ingmar Bergman está brincando como ninguém com as convenções de sua própria sociedade. O universo onírico que se faz presente em “Fanny & Alexander” deve ser aceito sem relutância. Só assim para deixar passar a cena em que as crianças do título se encontram em dois lugares diferentes no momento em que estão fugindo da casa do padrasto. Foi a partir dessa cena que tive a certeza de que Bergman bebeu mesmo da fonte de Charles Dickens para revelar esta que seria sua autobiografia. Hoje, posso dizer que “Fanny & Alexander”, de filme que me botava medo, é um dos que mais me marcaram ao longo das minhas explorações cinéfilas. Ave, Bergman!

Resumo
Data
Título
Fanny & Alexander
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.