HANNIBAL – A ORIGEM DO MAL (2007)

Hannibal – A Origem do Mal | Hannibal Rising | dir. Peter Webber | Reino Unido | ★

Hannibal A Origem do Mal Poster

Hannibal – A Origem do Mal” é o último filme baseado em Hannibal Lecter. Confesso que só o assisti por conta da maratona que estou fazendo sobre o personagem (ainda me resta o pouco conhecido “Caçador de Assassinos”, de 1986). Dirigido pelo britânico Peter Webber (“Moça com Brinco de Pérola”), “Hannibal” foi roteirizado pelo próprio Thomas Harris, criador dos livros que serviram de base para as adaptações “O Silêncio dos Inocentes” (1991), “Hannibal” (2001) e “Dragão Vermelho” (2002). O caráter marqueteiro parece ter falado mais alto, já que a produção em si, reconheço, parece ter investido muito mais em aspectos artísticos de fotografia e direção de arte, mas esqueceu de contar uma boa história. Aqui, a proposta é descobrir o que aconteceu para que Hannibal tenha se tornado um dos vilões mais icônicos do cinema moderno com a requintada encarnação de Anthony Hopkins. Lecter foi uma criança que vivia na Lituânia durante a Segunda Guerra. Seus pais foram assassinados na sua frente e só sobrou ele e sua irmã caçula, Mischa. Logo os dois são encontrados por nazistas forasteiros e a garotinha é então vítima de canibalismo. Anos depois, o jovem Hannibal cresce num reformatório soviético e logo foge para encontrar um tio na França. Só encontra na verdade a viúva de seu tio, a Senhora Murasaki (Gong Li), que ensina o complexado rapaz que sonha em fazer medicina alguns conceitos da cultura japonesa (?). Mais tarde, Murasaki vira cúmplice da vingança orquestrada por Hannibal contra aqueles que degustaram a sua irmã. Apesar do mote parecer violento, “Hannibal – A Origem do Mal” tem uma outra proposta. Por ser um filme europeu, tudo foi adaptado com uma nova roupagem, dessa vez mais lenta, arrastada e com tentativas de dar significados ao que conhecemos de Hannibal anteriormente. O problema é que a obra fracassa nessa tentativa. Os diálogos são horrendos, os vilões são caricaturas desinteressantes, tem flashbacks desnecessários, a montagem é desprovida de quaisquer resquícios de elegância e os atores são terríveis (em especial Gaspard Ulliel, que não se sustenta como Hannibal). Triste ver um personagem tão forte ser vencido pela insistência em explorar sua persona.

Filmes Relacionados:

Caçador de Assassinos (1986)
O Silêncio dos Inocentes (1991)
Hannibal (2001)
Dragão Vermelho (2002)

Resumo
Data
Título
Hannibal - A Origem do Mal
Avaliação
11stargraygraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.