HITCHCOCK (2012)

Hitchcock | dir. Sacha Gervasi | EUA | ★★

Hitchcock Poster

Não há dúvidas de que Alfred Hitchcock (1899 – 1980) foi um dos maiores gênios do cinema. Mente capaz de reinventar (ou seria criar?) diversas técnicas que surtiam efeito de apreensão na plateia ao ponto de ser considerado o pai do suspense, Hitchcock, como qualquer outra figura lendária, foi ficando cada vez mais ligado a uma série de boatos. “Hitchcock”, essa adaptação do livro “Alfred Hitchcock and the Making of Psicose”, do biógrafo Stephen Rebello, conseguiu ser tão reducionista, que o risco ficou na linha tênue entre o equivocado e completamente desprezível.

Em primeira instância, está mais para um filme que irá retratar a relação do diretor (aqui interpretado de maneira traiçoeira por Anthony Hopkins) com sua inseparável companheira, Alma Reville (Helen Mirren). Enquanto Alfred está convicto de que agora quer filmar a polêmica adaptação de um livro que relata um crime bárbaro envolvendo um psicopata e um hotel, Alma está interessada em ajudar seu amigo, Whitfield Cook (Danny Houston) em seu novo roteiro.

É difícil não se manter incrédulo durante todo o filme. Parecem-me inconsistentes algumas informações que nortearam grande parte da fase criativa do filme, ao inserir informações descabíveis como as visões de Sir Hopkins com o assassino que cometeu os assassinatos no fatídico hotel que deu origem a “Psicose” (1960). Também é impensável uma cena em que Alma Reville toma a dianteira de uma gravação e trabalhe no lugar do marido, mesmo que este esteja de molho em casa. Entre tantas incongruências, ganha destaque a fixação do cineasta com as louras que em grande parte protagonizavam seus filmes. Historiadores do cinema e arquivos jornalísticos (a gênese do colunismo social na época) dão conta de que, sim, Hitchcock era extremamente obcecado pelas atrizes e chegou até mesmo a destruir a carreira de Vera Miles após ela se recusar a estrelar uma nova produção para constituir uma família. O que é verdade e o que é mentira, nunca saberemos. Mas podemos relacionar o improvável e o possível.

Hitchcock”, sendo reconhecido o seu atestado de reducionista, pode divertir principalmente os interessados em dados de bastidores.

Resumo
Data
Título
Hitchcock
Avaliação
21star1stargraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *