IT – A OBRA PRIMA DO MEDO (1990)

It – Uma Obra Prima do Medo ​|​ ​It​ ​|​ ​dir.​ ​Tommy Lee Wallace ​|​ ​EUA​ ​|​ ​★★★★

It PosterAlgumas pessoas têm falado que “It – A Coisa” é o melhor filme de terror lançado em 2017. Ainda não o assisti, mas optei por rever It – Uma Obra Prima do Medo, que quando eu era pequeno me chamava a atenção por ser um terror em fita dupla na videolocadora. O que não sabia é que originalmente foi exibido como uma minissérie para a TV em dois capítulos. Trata-se de uma das mais bem-sucedidas adaptações para um romance de Stephen King, que publicou It em 1986. É importante falar que “It – A Coisa” não é um remake de It – Uma Obra Prima do Medo, e sim mais uma nova versão tendo a mesma publicação como base da história. Falar que It é uma Obra Prima do Medo é contestável. É um bom trabalho, mas sofre uma ruptura muito forte em sua segunda metade para o final, porque a primeira parte é simplesmente perfeita, com uma jovialidade que remete a “Os Goonies” (1985), “Conta Comigo” (1986) e até a série recente “Stranger Things” (2016). A aventura se passa na cidade fictícia de Derry, no Maine. Um grupo de crianças se reúne tendo em comum o receio de outra criança que adora persegui-los. Nessa mesma época, diversos pequenos começam a desaparecer na cidade, sendo atraídos por um palhaço assustador chamado Pennywise (Tim Curry imortalizando o personagem). 30 anos depois, os mesmos acontecimentos rolam novamente em Derry, fazendo com que os sete amigos de infância voltem a se reunir para derrotar a Coisa. It – A Obra Prima do Medo dificilmente funcionaria hoje em dia da maneira como está. É por isso que é importante surgirem releituras. É provável que funcione muito mais para a minha geração, que talvez compreenda melhor as reações mais teatrais dos atores adultos. As cenas de terror são bem pontuais, já que o filme se concentra muito no enaltecimento da amizade. É datado, porém divertido.

Filmes Relacionados:

Resumo
Data
Título
It – A Obra Prima do Medo
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments