KIKA (1993)

Kika ​|​ ​Kika​ ​|​ ​dir.​ Pedro Almodóvar ​|​ ​Espanha​ ​|​ ​★★★★

Kika PosterOK, ok. Ninguém perguntou quando eu vou voltar a escrever, ninguém sentiu a minha falta. A sorte, todavia, é que não escrevo por reconhecimento, e sim por prazer. E não é à toa que estou aqui, nem sei por quantas vezes, dizendo que voltarei a postar recorrentemente os filmes quando ando vendo aqui no blog. O problema é que a ressaca cinematográfica tem perdurado. Continuo tentando terminar a minha maratona Pedro Almodóvar, e parece que agora vai. “Kika” era um dos títulos que mais me mantinha na curiosidade. Conhecia obviamente por nome, mas nunca tinha o assistido. Mal sabia eu que era aqui que encontraria talvez uma das minhas personagens “almodovarianas” preferidas. Se engana quem pensa que é Kika (Verónica Forqué), a maquiadora tagarela que dá nome ao filme. Na verdade, é Andrea Caracortada (Victoria Abril), a apresentadora sensacionalista que faz de tudo para filmar tragédias de diferentes classificações criminais. Não se incomoda em carregar câmeras na cabeça e apresenta seu programa de TV com textos folhetinescos e figurino assinado oficialmente por Jean-Paul Gautier. A sátira é apenas um dos pontos altos de “Kika”, que possui uma sofisticação que só mesmo um bom fã de Almodóvar poderia aproveitar melhor. Eu desconfio que para olhos mal-acostumados ao universo colorido e pouco ortodoxo do cineasta possa não gostar muito, principalmente pelas cenas completamente desmioladas que saem da cabeça dele (como a famosa sequência que tem a cena de estupro mais impagável que você vai ver). Tem seu exagero, mas ao mesmo tempo tem a sua intenção em dar ainda mais elementos no estilo tão bem amarrado que está sendo desenvolvido ali. Não importa a história que se inicia simples que aos poucos vai se tornando inteiramente cheia de camadas envolvendo crítica ao machismo e catalepsia. Importa menos ainda os que se acomodam com os bons modos. “Kika” é divertido na medida certa.

Resumo
Data
Título
Kika
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.