KING COBRA (2016)

King Cobra | King Cobra | dir. Justin Kelly | EUA | ★★

King Cobra PosterEu acho louvável um cara como James Franco ser tão seguro de sua sexualidade, que não está nem aí com as suspeitas de que seja homossexual. Até porque isso não seria demérito algum e, justamente por esse motivo, ele sempre se atreve a se inserir em projetos que abarquem essa temática. Franco chegou a co-dirigir o fetichista “Interior. Leather Bar.” (2013) e agora protagoniza este “King Cobra”, título do qual também é produtor. Eu não sei até que ponto eu posso falar sobre a história, já que, talvez por não saber sobre ela, eu acabei me surpreendendo um pouco mais, ainda que seja baseado em uma história real que ganhou muita atenção da mídia na época em que se passa. Por volta de 2007, o produtor da King Cobra, Stephen (Christian Slater), estava ganhando muito dinheiro com o jovem astro Brent Corrigan (Garrett Clayton) em vários filmes pornográficos destinados ao público gay. O problema é que logo surgiriam desavenças entre os dois. Do outro lado da história, Harlow (Keegan Allen) e Joe (James Franco), os Viper Boys, enfrentam uma crise após seus filmes não serem suficientes para fechar a conta de uma vida luxuosa. “King Cobra” não se sustenta, principalmente nas cenas em que a carga dramática fica mais pesada. Para os saudosistas, as presenças de Christian Slater (“Amor à Queima Roupa”), Molly Ringwald (“Clube dos Cinco”) e Alicia Silverstone (“As Patricinhas de Beverly Hills”) soam até curiosas, porém, no caso desta última, se torna risível por ela não dar conta de uma cena em particular em que deixou muito a dever. Alguns podem gostar de “King Cobra” muito mais pelo tema corajoso e pouco retratado no filão hollywoodiano, o que já é uma boa coisa para o projeto como um todo. Um filme esquecível, porém, muito válido.

Resumo
Data
Título
King Cobra
Avaliação
21star1stargraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.