KUBO E AS CORDAS MÁGICAS (2016)

Kubo e as Cordas Mágicas | Kubo and the Two Strings | dir. Travis Knight | EUA | ★★★★

Kubo e as Cordas Mágicas Poster

Como acontece em praticamente todos os anos, é chegado o momento dos últimos doze meses que eu preciso fazer uma pequena repescagem do que deixei passar entre os lançamentos do ano. Fui me dar conta de que quase não vi animações nesse período, fazendo com que eu desse prioridade no inicio dessa repescagem 2016. Comecei com “Kubo e as Cordas Mágicas”, um belíssimo filme que estimula o processo imaginativo de histórias através da poesia oriental. O protagonista da aventura é Kubo (Art Parkinson), um garoto de 11 anos que vive com a mãe depressiva desde a morte do pai, um samurai vitimado pelo próprio sogro ao tentar reunir três peças de grande poder (capacete, escudo e espada). Kubo pouco sabe de sua origem, ganhando uns trocados em praça pública tocando shamisen (um instrumento que possui as duas cordas de título) e controlando origamis animados. Após libertar a aproximação de duas bruxas (voz de Rooney Mara), Kubo precisará encontrar as três peças que seu pai buscava para proteger o mundo da escuridão completa. “Kubo e as Cordas Mágicas” é todo feito em stop motion, marcando a primeira direção em longas de Travis Knight, que é CEO da companhia Laika e já trabalhou no departamento de animação em títulos como “Coraline e o Mundo Secreto” (2009) e “ParaNorman” (2012). Ou seja, o cara é experiente no negócio. A estrutura da trama é simples, com vários desafios a serem completados pelos protagonistas. Senti falta, porém, de uma resolução melhor trabalhada com direcionamentos apontados ao longo da história. Isso daria um pouco mais de substância para a obra como um todo (sem parecer que toda solução cai do céu aleatoriamente). Ainda assim, continua sendo um filme muito bonito, com uma boa carga lúdica que deve, talvez, agradar muito mais adultos do que seu público-alvo infantil.

Resumo
Data
Título
Kubo e as Cordas Mágicas
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.