MARY E MAX – UMA AMIZADE DIFERENTE (2009)

Mary e Max – Uma Amizade Diferente | Mary and Max | dir. Adam Elliot | Austrália | ★★★★★

Mary e Max Poster

Filmes desenvolvidos com a técnica de stop-motion devem ser respeitados, acima de tudo, pela trabalhosa produção e o tempo destinado para a finalização de um único projeto. “Mary e Max – Uma Amizade Diferente“, por exemplo, foi um projeto encaminhado por longos cinco anos pelo diretor e também roteirista, Adam Elliot. Ele, que já tem uma carreira significativa em animações de curta metragem (já ganhou prêmios no Anima Mundi e um Oscar em 2003 por “Harvey Krumpet”), faz aqui o seu primeiro longa metragem, que traz muitos dos elementos característicos de seus trabalhos anteriores.

Mary Daisy Dinkle (voz de Toni Collette) é uma garota de apenas 8 anos que mora no subúrbio de Melbourne Mount Waverley, na Austrália. Ela sofre pela ausência do pai e a negligência de sua mãe depressiva e alcoólica, além do fato de ser rejeitada pelos colegas de escola, tendo que fabricar seus próprios brinquedos e assistir seu programa preferido em companhia de seu galo de estimação. Curiosa, ela escolhe aleatoriamente um nome americano numa lista telefônica e manda uma carta para perguntar de onde nascem os bebês nos Estados Unidos. A epístola é recebida por Max Jerry Horowitz (Philip Seymour Hoffman), um ex-judeu (agora ateu) que sofre de obesidade e vive recluso em seu apartamento por ter dificuldades de se encaixar no mundo tão incompreensível para ele. Dessa relação por correspondência nasce uma amizade intercontinental entre os dois, que perdura por vários anos.

A narração da história é acompanhada por um irresistível humor visual, que garante à “Mary e Max – Uma Amizade Diferente” um título de tragicomédia.  Mesmo com a densidade do roteiro, tudo é abordado de forma ingênua, até porque se trata, antes de qualquer coisa, de uma animação, embora tenha sua cota de obscuridade. A fotografia diferencia os ambientes. Na Austrália, o tom sépia inunda o mundo de Mary e seus óculos garrafais, ao passo que a Nova York de Max é praticamente incolor. O que mais desejamos é a junção entre essas duas cores. Trata-se de uma “animação desanimada” para gente grande saber o que é, de fato, a relação humana e suas peculiaridades.

Resumo
Data
Título
Mary & Max - Uma Amizade Diferente
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Realmente é um filme que toca bastante nossos sentimentos guardados, se nos permitimos sermos tocados.
    uns amigos me falaram que estava passando em cinema de arte aqui e não pude assistir, por sorte ele entrou em cartaz em outro cinema e me possibilitou assistir, até estou procuramdo para comprar ou download, vale a pena ter na videoteca uma obra de arte dessas, parabéns pelo post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *