MINHA IRMÃ (2012)

Minha Irmã | L’Enfant d’en Haut | dir. Ursula Meier | Suíça | ★★★★

Minha Irmã Poster

Minha Irmã” é, acima de tudo, um filme que pretende – e consegue satisfatoriamente – utilizar a dinâmica entre dois irmãos para explorar o contraste cruel entre dois mundos num mesmo país de primeiro mundo. Ficou confuso? Bem, tomemos a Suíça, um país-modelo em diversos quesitos. Jamais imaginaríamos que lá existissem pessoas vivendo à margem dos turistas abastados que vão até lá para esquiar. Pois é. Não só existe como também ganham tratamento nesse belíssimo filme. A história irá se focar em Simon (Kacey Mottet Klein), um garoto de 12 anos que vive na parte baixa da Suíça, o que corresponde à periferia. Ele divide a casa com sua irmã mais velha, Louise (Léa Seydoux). Sendo uma espécie de piriguete dos alpes, Louise faz alguns bicos e gasta boa parte de seu tempo fora em companhia de variados homens, deixando seu irmão sozinho e tendo que se virar para sobreviver. Justamente para se manter e custear o aluguel, Simon vê na alta temporada de esqui a oportunidade perfeita para praticar pequenos furtos. Todos os dias ele embarca na gôndola que separa o lado pobre e rico (diametralmente, a parte baixa e alta) para roubar equipamentos e depois vendê-los. O título original da obra (que traduzido ao pé da letra significa “o garoto de cima”) resume muito mais a proposta de Ursula Meier com esse projeto. A verticalidade social é o tema central desse filme, que se desprende muito bem do seu pano de fundo para gerar a devida discussão. O pano de fundo, nesse caso, é atribuído para a relação entre dois irmãos. Relação esta que vai ganhando nuances cada vez mais interessantes no decorrer da história. Podemos até mesmo nos questionar sobre a real natureza da interação entre Simon e Louise, e descobrimos, entre o cru e o lirismo, que um é dependente do outro. Vale a pena conferir.

Resumo
Data
Título
Minha Irmã
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Esse vale realmente muito a pena. Piriguete dos alpes, acho que não teria definição melhor para a bela Léa Seydoux neste filme hehehe

    O melhor é que além de vários questionamentos, tem um mistério que faz toda a trama ganhar melhores contornos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *