MISS VIOLENCE (2013)

Miss Violence | dir. Alexandros Avranas | Grécia | ★★★★★

Miss Violence Poster

Grande vencedor do Festival de Veneza no ano passado (de onde saiu com os prêmios de melhor filme euro-mediterrânico, diretor, ator e filme da competição de cinema jovem) e um dos mais requisitados da 37ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, “Miss Violence” é, desde já, um dos filmes mais chocantes que pude assistir no decorrer desse ano. Será uma interessante surpresa se chegar a ser lançado comercialmente por aqui, já que, além do tema demasiadamente controverso, trata-se de uma obra cujo país de produção não tem praticamente nenhuma tradição nos nossos cinemas.

Dirigido pelo competente Alexandros Avranas, “Miss Violence” se inicia com a festa de 11º aniversário de uma garota que está cercada por sua adorável família. Surpreendentemente, ela vai até a varanda de seu prédio e, sorrindo, pula para a morte. Dessa tragédia, vamos conhecendo tudo o que está por trás dessa apresentação inicial de uma casa de classe média numa Grécia em plena crise financeira. No começo, a configuração dos estranhos personagens pode parecer confusa. Não sabemos quem é filha de quem, qual é irmã de quem, onde está o pai das crianças ou por que o patriarca é chamado de avô. No entanto, todos esses pressupostos (que logo são esclarecidos para o espectador mais atento) serão respondidos através de revelações nada agradáveis.

Por sinal, trata-se de uma maneira crua de perder, o mínimo que seja, um pouco de fé na humanidade. Além do roteiro consistente e fiel à sua conduta em descortinar segredos, o que mais impressiona em “Miss Violence” é o trabalho de direção. Fazendo paralelos indiscutíveis com o cinema romeno (vide os ótimos “Instinto Materno” e “4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias”), a câmera de Avranas nos impressiona com quadros estáticos que nos desafiam, planos-sequência impressionantes e panorâmicas que servem justamente para nos levar ao encontro de situações NADA confortáveis. Enquanto sua história não projeta nenhum fio de esperança, o filme é necessariamente um trabalho de grande frescor para o cinema grego. Vale a descoberta.

Resumo
Data
Título
Miss Violence
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

2 Comentários

  1. Já prevendo que um filme destes não chega á nós nem em DVD ( e onde moro então, interior de PE), baixei. E ainda sobre o efeito do filme te escrevo o quanto estou arrasada, chocada e sem rumo. Não preciso dizer mais nada.

    Lars? Heneke? Brincadeira de criança não?

    patrícia…modestamente cinéfila…kkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *