MOONRISE KINGDOM (2012)

Moonrise Kingdom | dir. Wes Anderson | EUA | ★★★★★

Moonrise Kingdom Poster

Não é preciso muito tempo para percebemos que “Moonrise Kingdom” é um autêntico filme de Wes Anderson. Contando com um roteiro feito em parceria com Roman Coppola, a obra tem tudo o que o universo de Anderson proporciona. O uso excessivo das cores – predominando os tons pastéis -, a trilha sonora milimetricamente calculada, a direção de arte impecável e a temática dos outsiders perante a descoberta do amor entregam o que podemos chamar de maneirismos do cineasta-autor.

A história se passa em 1965, na ilha New Penzance, localizada na Nova Inglaterra (costa dos EUA). Com apenas 28 km de extensão, a pequena ilha tem suas peculiaridades. As casas infantis, os bosques, a bucólica praia e o tradicional grupo de escoteiros. É nesse grupo que se encontra o deslocado Sam (Jared Gilman), de apenas 12 anos. Após conhecer Suzy (Kara Hayward), quando esta se apresentava numa peça escolar, ele se apaixona perdidamente. A identificação entre os dois foi imediata. Suzy é a primogênita do casal de advogados Walt (Bill Murray) e Laura Bishop (Frances McDormand), e sente que não se encaixa na dinâmica de sua casa. As duas crianças planejam fugir se utilizando dos conhecimentos de Sam para trilhas e acampamentos. Não demora muito e acabam sendo procurados pelos pais de Suzy, os garotos do acampamento e o Capitão Sharp (Bruce Willis).

Não seria exagero dizer que “Moonrise Kingdom” é um ensaio existencialista envolto num romance juvenil. A descoberta do amor através da apologia à liberdade. Essa riqueza no conteúdo entra totalmente em choque com o visual cartunesco de Wes Anderson. Sim, a história que assistimos não é real e isso fica nítido em praticamente todo o tempo. Entretanto, esse universo criado existe no movimento lógico dentro da própria trama. Ou seja, numa época em que estamos acostumados com o cinema que se aproxima cada vez mais da realidade, quando surge um exemplo que segue os ingredientes de uma fábula pode causar estranhamento. O que é uma pena. Ter esse comprometimento com o onírico pode ser um mérito acima de qualquer elogio.

Resumo
Data
Título
Moonrise Kingdom
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *