O JOGO DA IMITAÇÃO (2014)

O Jogo da Imitação | The Imitation Game | dir. Morten Tyldum | Reino Unido | ★★★★

O Jogo da Imitação Poster

A cada novo filme que vejo dessa nova safra de premiações, mais eu tenho a certeza de que esse é o ano dos atores interpretando homens obcecados ou gênios incompreendidos. Michael Keaton é um ator desesperado na montagem de uma peça em “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância”, Jake Gyllenhaal está com o pé na sociopatia em “O Abutre” e J.K. Simmons como um professor meio nazi em Whiplash – Em Busca da Perfeição” são apenas alguns exemplos. Outro grande destaque é Benedict Cumberbatch, que nesse “O Jogo da Imitação” encarna ninguém menos que Alan Turing, um matemático que, durante a Segunda Guerra Mundial, é contratado pelo serviço de inteligência britânico para decifrar os códigos sinalizados pelos nazistas. Trabalhando com uma equipe competitiva que inclui a obstinada Joan Clarke (Keira Knightley), Alan constrói uma máquina que será capaz de fazer todas as combinações possíveis desses códigos, uma ferramenta que mais tarde seria chamada de “computador”. O filme, apesar de não arriscar entrever originalidade em seu conteúdo (vem seguindo a cartilha das últimas biografias lançadas no cinema), possui uma montagem bastante interessante, intercalando o contexto principal da Segunda Guerra com flashbacks e flashforwards relatando o seu primeiro amor durante a infância e quando foi preso simplesmente por ser homossexual, respectivamente. É ainda mais elogiável o fato de que cada nova informação dada ao núcleo principal ser muito bem colocada nesses dois subnúcleos. Essa dinâmica foi o que me fisgou no filme. “O Jogo da Imitação” também marca o melhor trabalho do exótico Benedict Cumberbatch, muito famoso pelo público nerd por ser a estrela principal da série inglesa “Sherlock”, ao passo que Keira Knightley, que garantiu uma indicação ao Oscar de atriz coadjuvante, embora muito carismática, não está memorável. A obra é baseada no livro Alan Turing: The Enigma, de Andrew Hodges, e foi dirigida por Morten Tyldum, um norueguês que já havia me chamado bastante atenção por conta do bom “Headhunters” (2011). Você certamente vai aprender muito com “O Jogo da Imitação”.

Resumo
Data
Título
O Jogo da Imitação
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Eu vi o filme algumas vezes e ainda não entendo como a máquina de Turing funciona haha, mas acho que esse não é o objetivo do filme, em vez quero falar sobre preconceito e como eles nos afetam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.