O LAGOSTA (2016)

O Lagosta ​|​ ​The Lobster​ ​|​ ​dir.​ ​Yorgos Lanthimos ​|​ Reino Unido​ ​|​ ​★★★★

O Lagosta Poster

O Lagosta” é de cara o filme mais mind fuck que eu vi este ano. Se fosse dirigido por um norte-americano, talvez ganhasse um status mais cult, como foi o caso de “Ela” (2013). Mas não. Esse foi dirigido por um grego muito estranho chamado Yorgos Lanthimos, que fez coisas meio esquisitas como “Dente Canino” (2005) e “Alpes” (2011). Traz aqui uma elogiável atuação de Colin Farrell, que engordou uns 20kg que o deixaram pançudo, porém muito condizente com a personalidade de seu papel. A sinopse é uma viagem só. Se passa num futuro distópico em que é proibido ser solteiro. David (Colin Farrell), por exemplo, passou por um divórcio e está numa situação complicada de solidão. Vai então para um hotel, onde todos os hospedados têm até 45 dias para encontrar um par que combine com as suas características. A regra é clara: quem não conseguir encontrar um parceiro(a) será transformado em um animal de sua escolha e solto na natureza. O humor contido em “O Lagosta” é muito preciso. Talvez nem todo mundo irá achar graça nessa situação, ou até mesmo entender o sarcasmo por trás das necessidades de encontrar uma pessoa ideal. Apesar das várias analogias sociais que o filme é capaz de fazer, acredito que essa tenha sido a mais clara. Até porque quase tudo que consumimos hoje vende a ideia de felicidade com outrem, como se viver sozinho fosse um sinônimo de fracasso passageiro (ou não). E o filme tem essa tônica muito bem desenvolvida, o que perde um pouco de seu ritmo na passagem para o terceiro ato. Muito da obra se torna um convite à reflexão, mas sem parecer forçado, levando em consideração o seu humor nada convencional. É inevitável também não ficarmos pensando em qual animal escolheríamos ser.

Resumo
Data
Título
O Lagosta
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.