O NOVÍSSIMO TESTAMENTO (2015)

O Novíssimo Testamento | Le Tout Nouveau Testament | dir. Jaco Van Dormael | Bélgica | ★★★

O Novíssimo Testamento Poster

Esse é um caso de filme que poderia ter sido espetacular, mas em algum momento o excesso de imaginação se excedeu, resultando um trabalho que, apesar de não ser um desperdício total de tempo, me soou repetitivo e decepcionante. “O Novíssimo Testamento” foi o representante oficial da Bélgica para Oscar de melhor filme estrangeiro deste ano. Ficou entre os semifinalistas, porém foi preterido nos cinco candidatos oficiais. Foi escrito e dirigido por Jaco Van Dormael, que alguns podem conhecer por “O Oitavo Dia” (1996) e o mais recente “Sr. Ninguém” (2009), que por sinal está entre as opções do Você Escolhe deste mês (quem quiser votar para que eu possa resenha-lo aqui, basta votar na lateral da página). Voltando a falar sobre “O Novíssimo Testamento”, preciso detalhar um pouco sobre a sinopse do filme. Deus (Benoît Poelvoorde) não é exatamente como todos imaginam. Ele na verdade mora em Bruxelas, é casado, mal-humorado e muito sarcástico. Para compensar o seu tédio, se diverte com as desgraças cotidianas da humanidade criando leis como “a fila ao lado sempre vai andar mais rápido”. Ea (Pili Groyne), sua filha de dez anos, cansada de ver sua mãe (Yolande Moreau) ser mal tratada e não ter liberdade dentro da própria casa, invade o computador central de seu pai e foge para a civilização, não sem antes mandar para todo mundo via SMS a data de morte de cada um. Assim como o seu irmão Jesus Cristo, ela agora irá buscar seus próprios apóstolos, enquanto Deus tenta captura-la. Pois bem. “O Novíssimo Testamento” não está lá muito interessado em ser fiel aos preceitos religiosos do Cristianismo e se atém muito mais à criatividade (a minha preferida é a possível visão do que seria o mundo se Deus fosse mulher). Juntamente com os bons efeitos visuais, o filme acaba tendo algumas semelhanças com o ovacionado “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” (2001), ainda que tenham suas diferenças em relação à temática. Apesar de ter estreado sem grandes alardes aqui em São Paulo, “O Novíssimo Testamento” merece vencer a estranheza inicial e ser visto. Quem sabe vocês gostem mais do que eu.

Resumo
Data
Título
O Novíssimo Testamento
Avaliação
31star1star1stargraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *