O REGRESSO (2015)

O Regresso | The Revenant | dir. Alejandro González Iñárritu | EUA | ★★★★

O Regresso Poster

Eu estava muito curioso pra saber qual era a desse “O Regresso”, uma improvável odisseia do cineasta Alejandro González Iñárritu, nome cada vez mais firmado após o bem sucedido “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)” (2014). Além de estar presente nas principais premiações que esquentam a disputa pelo Oscar, muita gente da minha confiança já vinha falando maravilhas sobre a obra. Meu colega de apartamento detestou, afirmando ser apenas um engodo hollywoodiano bem previsível. Fui tirar a prova dos 9 e já adianto que estou com o primeiro time. Por bem pouco, “O Regresso” seria um filme praticamente irretocável. A história, que é parcialmente baseada no livro de Michael Punke, se passa na década de 1820. Comerciantes de pele estão, como de habitual, fazendo seu trabalho quando são atacados por um grupo indígena. Os poucos que sobraram tentam despistá-los a pé pela floresta até que Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) é atacado por um urso. Seu colega, John Fitzgerald (Tom Hardy), responsável pelos seus cuidados enquanto o restante do grupo continua a jornada, acaba o deixando ao relento. Só que Glass sobrevive aos ferimentos e irá traçar a sua trilha de vingança (motivos para isso não faltam, mas não vou entregar todos os pontos, é óbvio). O trabalho de Iñárritu é uma das coisas mais surpreendentes aqui. Logo no início, o ataque dos índios pawnees impressiona pelos planos-sequências, nos fazendo questionar como ele fez aquilo. Além disso, complementam-se a fotografia de Emmanuel Lubezki (“Filhos da Esperança”) e a trilha de Ryuichi Sakamoto (“Babel”). Em suma, a produção é pomposa, bem bonita mesmo. Não é de hoje que Leonardo DiCaprio já ensaia sua vitória no Oscar, mas me parece que dessa vez a sua estatueta nunca esteve tão certa. Trata-se de uma tour de force sem precedentes na carreira do ator, que disputa atenção com a também presença marcante de Tom Hardy. Meu único problema com “O Regresso” são algumas passagens que remetem às lembranças nada felizes do herói, das quais martelam as suas motivações através de um lirismo que não empobreceriam o lindo resultado se estivessem ausentes. De resto, é um filme bastante recompensador para quem o assiste.

 

Resumo
Data
Título
O Regresso
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *