OLIVE KITTERIDGE (2014)

Olive Kitteridge | dir. Lisa Cholodenko | EUA | ★★★★★

Olive Kitteridge Poster

No final do ano passado foram divulgados os indicados ao Globo de Ouro 2015, e só o que tem é comentários sobre os filmes que podem chegar aos finalistas do Oscar. No entanto, nem todo mundo dá o devido valor às produções feitas para a TV (com exceção de “The Normal Heart”, que bem provavelmente sairá com o prêmio), o que pode resultar em boas surpresas. Eu mesmo me interessei em ver “Olive Kitteridge” por também dar uma indicação de melhor atriz para a ótima Frances McDormand, muito conhecida pelos papéis nos filmes de seu marido, Joel Coen. Foi a própria que comprou os direitos do livro homônimo de Elizabeth Strout, que fora lançado em 2008 e chegou a faturar um prêmio Pulitzer. McDormand tentou durante anos levar a adaptação para a TV, até que conseguiu o financiamento da HBO. Na obra literária, “Olive Kitteridge” traz 13 pequenas histórias centradas em alguns habitantes da pequena cidade do Maine, sempre com a presença de Olive como protagonista ou coadjuvante. Na minissérie, ela ganha o status central, mas sem que sejam ignoradas algumas pessoas de seu convívio ao longo de 25 anos. Olive (Frances McDormand) é uma professora de matemática nada afável. Dona de uma sinceridade cortante e quase nenhuma sensibilidade social, ela é casada com o dono da farmácia da cidadezinha, Henry (Richard Jenkins), e tem um único filho que mais tarde irá culpa-la por todos os seus problemas psicológicos. Sem muita pressa, acompanhamos o desenvolvimento da personagem com muita delicadeza, sempre exaltando discussões sobre a depressão vigente numa mulher atormentada pelo fato do pai ter cometido suicídio, assim como outras pessoas que considera especiais. De fato, “Olive Kitteridge” é, na totalidade de seus quatro episódios, um produto de qualidade indiscutível, não só em seus quesitos técnicos, mas, acima de qualquer coisa, enquanto estudo de personagem. Trata-se de uma reflexão sobre a nossa própria finitude, exasperada por perdas que de certa forma nos fazem ser quem somos.

Resumo
Data
Título
Olive Kitteridge
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.