PATTI CAKE$ (2017)

Patti Cake$ | dir. Geremy Jasper | EUA | ★★★

Patti Cake$ Poster

Patti Cake$ chega hoje aos cinemas brasileiros com uma história agradável sobre a superação de Patricia Dombrowski (ou Killa P. ou Patti Cake$), uma garota que sonha em ser uma rapper. O problema é que existem alguns limitadores que ela precisa se sobrepor. O primeiro deles é ser mulher, algo complexo por estar entre as que são comumente objetificadas nesse meio. Soma-se a isso o fato de ser uma jovem gorda, o que não evita piadinhas como ser chamada de “Dumbo” ou “Pig Azealia”. Também não tem apoio monetário por trás, tendo que ralar como bartender para garantir um investimento em suas rimas ferozes, que refletem a sua realidade sendo moradora da periferia de New Jersey. Junta-se a ela os amigos Jheri (Siddharth Dhananjay) e Basterd (Mamoudou Athie) e até mesmo a avó (Cathy Moriarty, a Vickie La Motta, de “Touro Indomável”) para que surja a oportunidade de formar uma banda. Patti só não encontra apoio da mãe (Bridget Everett), uma ex-cantora que enfrenta o alcoolismo. Por sinal, para mim, Patti Cake$ ganha pontos justamente quando mostra a relação da protagonista com seus entes, que evidencia a sua gana por ter seu lugar ao sol, além das sacadas do roteiro (escrito pelo também diretor Geremy Jasper, aqui estreando em longas), que não poupa nem mesmo às interpretações de apropriação cultural (“Aja de acordo com a sua idade”, Patti diz para mãe, que houve como resposta: “Aja de acordo com a sua raça”). É uma pena, todavia, que Patti Cake$ vai aos poucos saindo do seu aspecto mais realista para adentrar num drama familiar muito mais formuláico, que acaba por dividir o filme em dois (eu gosto bem mais da primeira parte). Como curiosidade, Patti Cake$ foi produzido pela RT Features, que é brasileira. Desde que eu assisti ao filme, ainda não esqueci da música que fica entoando “P B N G – P P B N G”.

Resumo
Data
Título
Patti Cake$
Avaliação
31star1star1stargraygray

Comentários (via Facebook)

comments