PERVERT PARK (2014)

Pervert Park | dir. Frida Barkfors, Lasse Barkfors | Dinamarca | ★★★

39ª Mostra Internacional de São Paulo

Pevert Park Poster

Começou a 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Eu prefiro fazer maratonas de 2 ou 3 filmes em um determinado cinema pra facilitar a minha vida. Comecei no último domingo vendo “Pervert Park”, documentário dirigido pelo casal sueco Frida Barkfors e Lasse Barkfors, que gravou o cotidiano de uma comunidade bem peculiar. O local se chama Florida Justice Transitions, que fica em St. Petersburg (EUA). Fundado pela mãe de um condenado da justiça que encontrou dificuldades em encontrar lugar para morar, hoje o bairro abriga cerca de 120 criminosos sexuais que passam por uma ressocialização mais humanista. Diferentemente do que acontece nos presídios, no “pervert park” (como é vulgarmente chamado por norte-americanos dos arredores) eles são tratados como indivíduos que sucumbiram às suas fraquezas. São vítimas de um sistema cruel e muitas vezes injusto. Claro que são criminosos, porém, isso não significa que não tenham suas histórias, coincidentemente algumas muito parecidas entre si. Conhecemos, por exemplo, uma mãe que foi capaz de ter relações sexuais com o próprio filho de oito anos, o cara tímido que cruzou a fronteira com o México e acabou estuprando uma criança de 5 anos, ou o universitário preso numa ação policial após ir ao encontro de uma mãe que aliciaria sua filha menor. São histórias pesadas, mas consequencialistas se formos pensar nas prováveis causas desses comportamentos erráticos e, sim, condenáveis. A violência doméstica e o ciclo de famílias disfuncionais são fatores comuns a todos eles. Além disso, os riscos em viver na Florida Justice estão ali presentes, pois nós sabemos que os “justiceiros” estão sempre em tocaia para garantir justiça com as próprias mãos. E o fato de moradores terem um aplicativo que fornece nomes, foto e distância dos condenados acaba deixando todos expostos. “Pervert Park” é um trabalho inofensivo. Mesmo deixando claro que a incidência de novos crimes entre os que passaram por ali seja inferior a 1%, sua natureza humanista acabou ofuscando maiores aprofundamentos. É uma discussão interessante, mas as conclusões dela poderiam ser melhores abordadas.

Resumo
Data
Título
Pervert Park
Avaliação
31star1star1stargraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.