PIXOTE – A LEI DO MAIS FRACO (1981)

Pixote – A Lei do Mais Fraco | dir. Hector Babenco | Brasil | ★★★★★

Pixote - A Lei do Mais Fraco

Pixote – A Lei do Mais Fraco, além de ser o motor que foi na carreira do diretor argentino Hector Babenco, é também um dos maiores marcos do cinema nacional. A história gira em torno de Pixote (Fernando Ramos da Silva), um garoto que nunca conheceu os pais e vive nas ruas de São Paulo. Numa apreensão de menores infratores suspeitos pelo latrocínio de um homem importante, ele vai parar em um reformatório. Depois de um tempo, Pixote consegue fugir com Dito (Gilberto Moura) e Lilica (Jorge Julião), homossexual que estimula a fuga. Fora da FEBEM, Pixote e seus amigos entram na criminalidade para conseguir sobreviver à deriva da sociedade. Trata-se de um filme pesado, às vezes claustrofóbico, cru em maior parte e que beira a melancolia solitária. Tudo isso foi calculado pelo próprio Hector Babenco, que se utilizou do neo-realismo italiano para adaptar o livro de José Louzeiro (“Pixote – A Infância dos Mortos”). Babenco decidiu formar o elenco principal de garotos que vivenciavam a mesma realidade dos personagens. Para isso, escalou atores residentes de comunidades carentes de São Paulo.  Fernando Ramos da Silva, o garoto que dá vida à Pixote, protagonizou também a informação mais trágica que norteia Pixote – A Lei do Mais Fraco. O ator, que também era oriundo de uma família carente, ganhou apoio para seguir a carreira. Chegou a conseguir papéis na Rede Globo e em outras produções, mas como era analfabeto, empacava na dificuldade em trabalhar com textos. Sua família nunca saiu da favela, e foi pra lá que voltou quando não teve mais perspectivas na arte. Envolveu-se com a criminalidade e, no ano de 1987, foi assassinado em uma batida policial. Lamento por ter demorado tanto para enfim assistir a essa pérola. Porém, são nesses momentos de descobertas que concluímos que, apesar da enxurrada de lançamentos nos cinemas e filmes de recente repercussão, sempre existirão os clássicos ao nosso dispor.

Resumo
Data
Título
Pixote – A Lei do Mais Fraco
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

4 Comentários

  1. Ótimo post.

    ” apesar da enxurrada de lançamentos nos cinemas e filmes de recente repercussão, sempre existirão os clássicos ao nosso dispor. Ainda bem.”
    Ainda bem mesmo! Assisti esses dias, apesar de ser pesadíssimo, um excelente filme! Quero assistir “Quem Matou Pixote” agora. Um grande abraço!

  2. Assisti este filme logo que foi lançado, pois na época o Gilberto Moura era meu amigo, andavámos sempre juntos. E frequentavámos um teatro que se localizava em Diadema, acho inclusive que conheci o Gilberto neste local.Enfim o filme incrível e muito chocante com uma realidade muito triste para época e que continua até hoje infelizmente. Parabéns a todos que participaram e para meu saudoso amigo Gilberto Moura que nunca mais tive notícias.

  3. A primeira vez q assisti esse filme, fiquei desnorteado, não tinha mais do que uns 15 anos e me marcou muito. Pixote é um tapa na cara do espectador, forte, cru, honesto, como deve ser. Grande momento do cinema brasileiro. Deveria ser mais saudado. Grande Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.