PONTO FINAL – MATCH POINT (2005)

Ponto Final – Match Point | Match Point | dir. Woody Allen | EUA | ★★★★★

Match Point Poster

Ponto Final – Match Point” é um dos filmes preferidos do próprio Woody Allen, junto “A Rosa Púrpura do Cairo” (1985), “Memórias” (1980), “Broadway Danny Rose” (1984) e “Um Misterioso Assassinato em Manhattan” (1993). Também tem grande afeição dos próprios admiradores do diretor, que, depois de uma fase de filmes medianos em que estava, conseguiu a proeza de se mostrar meticuloso naquilo que faz tão bem. A história se passa em Londres e inicia a primeira de muitas outras incursões de Allen em países europeus, onde certamente conseguia ser financiado com mais facilidade.

Na capital britânica, o irlandês Chris Wilton (Jonathan Rhys Meyers) chega para trabalhar como instrutor de tênis em um clube. Não demora muito e logo se aproxima de um de seus alunos, Tom (Matthew Goode), que o convida para uma confraternização em sua casa. Lá, ele conhece Chloe (Emily Mortimer), irmã de Tom, a quem inicia um relacionamento. Se revelando um ser  ambicioso, Chris fica desorientado quando é apresentado à noiva do amigo e agora cunhado, a norte-americana Nola Rice (Scarlett Johansson), atriz iniciante que logo se torna a perdição carnal do protagonista. As reviravoltas contidas em “Ponto Final – Match Point” são gradativamente mais intensas e provocativas.

Mesmo que eu prefira não me ater aos pormenores do clímax, posso adiantar que Woody Allen soube como ninguém articular um roteiro perspicaz. Basta atentarmos à apresentação do novo apartamento de Lola e o fato do patriarca da família Witton gostar de atirar. Apenas dois dos pontos que demonstram a preocupação do roteiro em deixar tudo amarrado, fechando um círculo praticamente infalível. Também gostei muito do tratamento dado ao personagem central. Chris se mostra cada vez mais maquiavélico e tem seu lado sombrio literalmente mostrado durante os momentos mais significativos da trama.

Aliás, todos os personagens aqui estão inseridos num contexto quase sempre corruptível. Dialogando sem disfarces com a obra Crime e Castigo, do russo Fiódor Dostoievski, “Ponto Final – Match Point” conta com um final maravilhoso, principalmente por trabalhar a rima visual contida nos jogos de tênis e rechaçar a natureza sombria do ser humano. Imperdível.

Resumo
Data
Título
Match Point Poster
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *