POSSUÍDOS (2006)

Possuídos | Bug | dir. William Friedkin | EUA | ★★★★

Possuídos Poster

Esses dias eu estava em casa bem tranquilo quando de repente, BAM, me dei conta de que estava com saudades da Ashley Judd (aliás, por onde anda???), que é daquelas atrizes que tem cara de gente, sabe? Enfim, tratei de encontrar ao menos três filmes estrelados por ela que, de algum modo, eu tinha guardado na memória. Um deles é esse “Possuídos“, que por incrível que pareça eu só lembrava do final bastante histérico, é bom salientar. A direção é do eficaz William Friedkin (“O Exorcista“, “Killer Joe – Matador de Aluguel“). Este último que também é uma adaptação da peça de Tracy Letts. Ashley interpreta Agnes, uma mulher sozinha, marcada pela violência doméstica do marido que acaba de sair da prisão. Morando num hotel no verão escaldante da Luisiana, é apresentada por uma amiga ao misterioso Peter (Michael Shannon). O envolvimento entre eles é crescente, mas logo Peter se mostra meio, digamos, perturbado. Ele começa a imaginar que o quarto está infestado de insetos minúsculos. Crença acompanhada por Agnes, que também vai perdendo o controle da situação. Ashley Judd está aqui na melhor fase de sua carreira – pelo menos até agora -, pois, além desse “Possuídos”, foi muito elogiada no saudável “Encontros ao Acaso” no mesmo ano. Ela nunca chegou tão perto de ser agraciada em premiações de renome. O filme ainda conta com Michael Shannon, que também estava em um bom momento, numa sequência de personagens paranoicos e/sociopatas, vide “Foi Apenas Um Sonho” (2008) e “O Abrigo” (2011). Shannon, para quem não sabe, interpretou o mesmo personagem na versão para os palcos. “Possuídos” é um terror psicológico interessante em que retrata a capacidade de influência que uma mente vulnerável – como no caso de Agnes – pode ter. E tudo vai fazendo sentindo, seja na forma como ela é “salva” pelo seu novo companheiro, quanto a revelação de um drama particular que também colabora para a sua situação. Só cuidado para não ver o filme e ficar achando muito de uma simples coceira na perna, pois somos praticamente levados a sentir um “bicho estranho” subindo na gente. Faça o teste.

Resumo
Data
Título
Possuídos
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Nas minhas idas a videolocadoras há muito tempo atrás, eu sempre via este na prateleira, mas nunca prestei atenção. Nem imaginava que a produção fosse boa assim (convenhamos, com esse nome/pôster, parecia bem filme B mesmo! rs).

    Outro que eu vou TER QUE VER!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.