THE ROOM (2003)

The Room ​|​ ​The Room​ ​|​ ​dir.​ ​Tommy Wiseau ​|​ ​EUA​ ​|​ ​★

The Room PosterCom The Room talvez eu tenha chegado talvez no pior filme que eu tenha feito uma review aqui no blog. Sério. É de um nível que se torna difícil de descrever. Ou muito fácil, já que falar mal de um filme é tão simples quanto elogiar algo que gostamos muito. O fato é que The Room é praticamente uma unanimidade quando se trata do que há de pior no cinema independente. É como se fosse uma videoaula de um curso de inglês, com personagens balbuciando suas falas sem um pingo de naturalidade, entrando e saindo de cena como naquelas sitcons dos anos 90, só que sem nenhuma graça. Pelo menos não intencionalmente, pois as risadas são garantidas pelos motivos errados. O fato é que The Room é tão ruim, que se tornou um objeto cultuado por fãs que ainda frequentam sessões deste trabalho que vez ou outra surgem no meio hipster. Curiosamente, tudo saiu da cabeça perturbada de um cara chamado Tommy Wiseau. Segundo relatos de quem investigou a produção, Wiseau investiu pesado no seu projeto, que originalmente seria um livro em forma de calhamaço com 500 páginas. A publicação não deu certo, embora tenha conseguido filmar com o montante de seis milhões (!!!) de dólares. Um valor alto para uma história que não sai muito do lugar, exibindo basicamente o triângulo amoroso entre Johnny (Wiseau, que também dirigiu, produziu e escreveu tudo), a noiva Lisa (Juliette Danielle) e seu melhor amigo Mark (Greg Sestero). E dá-lhe situações bizarras, com erros grotescos de montagem e até mesmo de filtro de câmera. Se Tommy Wiseau conseguiu o que queria? Bem, isso é relativo. Eu diria que ele teve êxito em dar sobrevida à um longa que nem mesmo os envolvidos acreditavam que ia ser visto por alguém. E hoje está aí, sendo zoado, mas ainda assim assistido.

Resumo
Data
Título
The Room
Avaliação
11stargraygraygraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.