RUBY SPARKS – A NAMORADA PERFEITA (2012)

Ruby Sparks – A Namorada Perfeita | Ruby Sparks | dir. Jonathan Dayton, Valerie Faris | EUA | ★★★

Ruby Sparks Poster

Calvin Weir-Fields (Paul Dano) é um romancista que se encontra com bloqueio criativo durante a criação de seu segundo livro. Pressionado pelo grande sucesso de seu debut – que o alçou ao título de “jovem gênio da literatura” – Calvin está estressado e solitário. Sob orientação de seu terapeuta, ele começa a descrever em escritos a moça que habita seus mais recentes sonhos. Daí ele cria Ruby Sparks (Zoe Kazan), uma garota ruiva, inteligente, sarcástica, feliz, companheira, independente… tudo o que um cara deseja numa mulher. O susto do escritor será maior quando, ao acordar, percebe que sua personagem criou vida e, o melhor, é também sua namorada. Agora, a garota perfeita está sob as ideias de Calvin, que poderá molda-la através de sua máquina de datilografia. “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita” sobrevive a essa premissa, mas parece não ter fôlego para correr atrás de outro clichê mais batido que tamborim em escola de samba: a busca desenfreada pela perfeição no amor, se é que ela existe. Se Calvin encontrará em Ruby Sparks a namorada ideal, bem, é só conferir o filme e lá estará a resposta. Contudo, sejamos sinceros, a moral da história é o de menos aqui, de tão previsível que ela possa parecer. O filme tem, como chamariz de marketing, o fato de ser dirigido pela dupla Jonathan Dayton e Valerie Faris, as mesmas cabeças por trás de “Pequena Miss Sunshine” (2006). A informação poderia cair muito bem como um dos motivos do meu interesse pela obra (vistos no primeiro parágrafo), porém, assim como o protagonista de “Ruby Sparks”, o casal tem que provar a animosidade vista em suas estreias. E eu sabia que as chances deveriam ser mínimas e as expectativas mantidas em baixa. Com um final pouco convivente, “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita” termina insosso e, de modo geral, sem ânimo para se tornar algo relembrável na semana seguinte.

Resumo
Data
Título
Ruby Sparks - A Namorada Perfeita
Avaliação
31star1star1stargraygray

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Achei um dos melhores filmes do ano este, sério hehehe.

    Não achei que terminou insosso não, pode não ser nenhuma novidade mas pelo menos é algo que não é costumeiro de se assistir.

    Quanto aos coadjuvantes tive uma visão bem diferenciada também, gostei bastante deles.

    Achei um filme gostoso de assistir, divertido e muito interessante mesmo.

    E tem mais uma curiosidade, Paul Dano e Zoe Kazan são namorados também na vida real, daí a química

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *