STAR WARS – O DESPERTAR DA FORÇA (2015)

Star Wars – O Despertar da Força | Star Wars: The Force Awakens | dir. J.J. Abrams | EUA | ★★★★★

Star Wars O Despertar da Força Poster

Fui conferir “Star Wars – O Despertar da Força” nos cinemas ainda na sua primeira semana de estreia. Achei que iria encontrar o cinema lotado, pois, afinal, é o grande blockbuster atual, com um sucesso de público que certamente vem quebrando recordes. Esse é o primeiro longa da franquia a ser distribuído pela Disney depois de ter comprado a LucasFilm, além de contar com um diretor que teria total cacife para dar um novo frescor à mitologia. J.J. Abrams já fez história na TV com a série “Lost” (2004) e foi responsável por sequências elogiadas como “Missão: Impossível 3” (2006) e “Star Trek” (2009). Ou seja, só se errasse MUITO para decepcionar. A história eu devo tomar o maior cuidado para apresentar, já que, como se trata de um filme “hypado”, muitos dos que vão ler ainda não assistiram ao filme. O que dá pra adiantar é que tudo se passa uns 30 anos após os acontecimentos vistos em “Star Wars – O Retorno do Jedi” (1983). Luke Skywalker (Mark Hamill) está desaparecido, mas procurado tanto pelos resistentes liderados pela agora General Leia (Carrie Fisher) quanto por um novo grupo antagônico chamado Primeira Ordem. Parte do mapa que pode dar a localização de Luke está dentro do androide BB-8, que fora colocado pelo piloto Poe Dameron (Oscar Isaac). A catadora de lixo Rey (Daisy Ridley) e um Stormtrooper dissidente (John Boyega) ajudarão na tentativa de proteger BB-8 do risco de ser capturado pelo temível Kylo Ren (Adam Driver). Essas informações são suficientes para saber qual é o pontapé inicial de “Star Wars – O Despertar da Força”. Se serve de dica, ter visto pelo menos a primeira trilogia (os episódios, IV, V e VI) vai ser de grande ajuda para dar toda uma significância no reencontro de personagens como Han Solo (Harrison Ford), Leia, Chewbacca, C-3PO, entre outros. O filme, apesar de não se arriscar em ousadia (a dinâmica é basicamente a mesma da trilogia clássica), é muito eficaz nessa conexão entre o velho e o novo. Tem bons atores, ótima condução narrativa, efeitos especiais impressionantes e, sim, supera as expectativas de quem estava ansioso. É uma tarefa cumprida com maestria.

Filmes Relacionados:

Star Wars – Episódio IV – Guerra nas Estrelas (1977)
Star Wars – Episódio V – O Império Contra-Ataca (1980)
Star Wars – Episódio VI – O Retorno de Jedi (1983)

Resumo
Data
Título
Star Wars - O Despertar da Força
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *