TODA FORMA DE AMOR (2010)

Toda Forma de Amor | Beginners | dir. Mike Mills | EUA | ★★★

Toda Forma de Amor Poster

Estranhamente, este filme do diretor Mike Mills sairá aqui no Brasil diretamente em DVD. O fato é que a fita nem teve tempo de ser descoberta e a distribuidora acabou perdendo a oportunidade de aproveitar a estação de prêmios para se beneficiar. Baseado em um fato por si só bastante cinematográfico vivido pelo próprio Mills, o filme acompanha três momentos do apático cartunista Oliver (Ewan McGregor). Em um deles, o impacto diante da figura de seu pai, assumindo aos 79 anos sua homossexualidade e revelando, assim, que seu casamento de 44 anos não passava de uma farsa. Em outro, Oliver acompanha o tratamento do câncer de seu pai. Oliver ainda conhece uma interessante atriz francesa (Mélanie Laurent) e acaba se apaixonando aos quarenta anos. A história tão interessante quase não me empolgou por uma insistente questão: e se o protagonista de “Toda Forma de Amor“, ao invés de Oliver, fosse seu pai? Não sei se essa dúvida pertinente e injusta ocorreu com todo mundo, mas o meu interesse pela guinada de um senhor viúvo que sai do armário batendo na casa dos oitenta, descobrindo as lutas civis que sua classe tem que travar e conhecendo um amor que ele tanto merecia, era muito mais interessante do que ver Oliver desenhando aqueles rostos “moderninhos”. Não é fácil lidar com um conflito pessoal ao saber que você nasceu de uma mentira. Ter uma mãe conformista e um pai enrustido, mesmo que você não saiba, pode ser uma situação deveras deprimente. Se Mike Mills não nos certificasse de que essa história aconteceu realmente com ele, poderíamos dizer que é algo que só aconteceria em cinema, de tão irônico e, ao mesmo tempo, tão trágico. “Toda Forma de Amor” é um filme intimista e, deixando visível que o seu modo de contar as formas de amor não embarcará a todos.

Resumo
Data
Título
Toda Forma de Amor
Avaliação
31star1star1stargraygray

Comentários (via Facebook)

comments

3 Comentários

  1. Eu achei Plummer excelente, mas, sinceramente, quem merece o Oscar é Nick Nolte pelo GUERREIRO.

    Gosto do roteiro de TODA PROVA DE AMOR, acho um filme até humano demais, cativa e nos identificamos demais com seus personagens.

    Acho que gosto bem mais do filme que você.

    Abração!

  2. Tive a mesma impressão que você. Mesmo sendo importante manter Ewan, sou um desses que acreditava que um filme focado apenas em Plummer renderia um interesse maior. No entanto, poderia cair na armadilha de ser panfletário de maneira ruim, e isso arruinaria ainda mais. Pq um filme gay panfletário não é, de maneira alguma, interessante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.