TUDO PELO PODER (2011)

Tudo Pelo Poder | The Ides of March | dir. George Clooney | EUA | ★★★★★

Tudo Pelo Poder Poster

Se você não conhece ou não entende como funcionam as eleições nos EUA, “Tudo Pelo Poder” apresenta, mesmo que presumivelmente, algumas considerações. Para começar, lá (ao contrário de cá) as eleições não são dadas de forma direta. Isso quer dizer que o povo não elege o seu novo presidente, mas sim os delegados estaduais que, por sua vez, entregam os votos para determinado candidato. Cada um dos cinquenta Estados possui um número X desses delegados, que variam de acordo com o número de habitantes do lugar. Antes de todo esse processo, existem as chamadas “primárias”, nas quais os dois principais partidos – o Republicano e o Democrata – fazem uma disputa interna. Tudo isso parece pouco inteligível, porque não faz parte do modo como nos habituamos a eleger nosso presidente da República. Contudo, também não é preciso conhecer todos os meandros da política norte-americana para acompanhar este filme imperdível. Ambientado no Comitê Nacional Democrata, o filme apresenta os bastidores da campanha do governador Mike Morris (George Clooney) para ser o representante democrata nas eleições para presidente. O seu “cérebro de confiança” (como ele mesmo define) é o competitivo Stephen Meyers (Ryan Gosling), responsável pelas estratégias de imagem do candidato, sob a supervisão de Paul Zara (Philip Seymour Hoffman). Nessa disputa que vale quase tudo, Stephen terá que lidar com questões éticas que jamais poderia esperar, principalmente depois de se envolver com Molly Stearns (Evan Rachel Wood), uma estagiária do mesmo comitê de campanha na qual trabalha. Como deu pra perceber, “Tudo Pelo Poder” se passa nos bastidores de uma primária do partido democrata. O que torna o filme especial é a maneira como vai ser retratado o que todos esperam – clima de que ninguém pode ser confiável e o discurso de que o poder corrompe todo e qualquer ser humano -, com as devidas surpresas e situações intricadas, que vão desmoronar em consequências inesperadas.

Resumo
Data
Título
Tudo Pelo Poder
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

4 Comentários

  1. Gosto muito desse filme, principalmente do roteiro e do conjunto do elenco. Até a direção do Clooney é acertadamente discreta e classuda. Melhor que muito filme concorrendo a prêmio esse ano.

  2. se de alguma forma tiver como comparar com o filme anterior dirigido por clooney, esse é infinitamente melhor. roteiro muito amarrado e um elenco soberdo.

  3. Falei sobre essa produção ontem no blog e me encaixo na categoria dos que acham Gosling um dos melhores da atualidade (ele é um dos meus queridinhos).
    Gostei bastante do filme e da direção segura de Clooney. Só achei que o tom decepcionado e fatalista usado por ele mostrou uma surpresa muito grande por alguns fatos podres, como se o fato de Obama ser Obama o impedisse de entrar de vez no jogo político. Faço apenas essa ressalva.
    De resto, um ótimo thriller político, sem dúvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.