TUDO PODE DAR CERTO (2009)

Tudo Pode Dar Certo | Whatever Works | dir. Woody Allen | EUA | ★★★

Tudo Pode Dar Certo Poster

Dando continuidade aos seus lançamentos anuais, em 2009 Woody Allen lança “Tudo Pode Dar Certo”, filme que nos remete diretamente aos trabalhos de anos anteriores por contar com uma série de críticas enviesadas sobre religião, sexo, intolerância, amo, etc. Dessa vez, seu alter-ego é transportado para a figura de Boris (Larry David), um extremo hipocondríaco.

Ex-professor de Física na Universidade de Columbia, Boris foi capaz de desfazer seu casamento porque tudo estava acontecendo de uma forma muito perfeita. Após uma tentativa fracassada de suicídio (que lhe rendeu uma perna manca), ele ganha a vida ensinando xadrez para crianças que menospreza. Até que em um dia aparentemente comum, aparece em sua porta a jovem Melody (Evan Rachel Wood), garota que fugiu da casa dos pais em Mississipi para tentar a vida em NY. Mesmo contra sua vontade, Boris acomoda a garota em sua casa. Já Melody, depois de algum tempo convivendo com os ataques de pânico e a natureza ranzinza do velho, acaba revelando que está apaixonada por ele.

Descobri que o roteiro do longa foi feito ainda nos anos setenta, sendo produzido quase três décadas depois. Isso explica a familiaridade com muitas coisas. Até o jeito de gesticular lembra muito a composição de Allen e, muitas vezes, as ideias do personagem eram apresentadas quase como um megafone do diretor, que se utiliza até de um diálogo direto com os espectadores para exercer seu discurso clássico que muitos chamam de verborragia. Não, não se trata disso por um simples fato: Woody Allen não busca fazer discursos vazios. Tudo nele, por mais despretensioso que seja, possui um conteúdo a ser instigado, salvo raríssimas exceções.

Como filme, “Tudo Pode Dar Certo” não é nenhuma pérola e se soma aos muitos títulos regulares que Allen lançou na década de 2000. As tiradas realmente boas do mestre ficaram reduzidas a poucos momentos. Ali, pulverizadas. Hoje, Allen faz filmes para se (e nos) divertir, eu sempre digo isso. Não importa se o resultado fique bom ou ruim.

Resumo
Data
Título
Tudo Pode Dar Certo
Avaliação
31star1star1stargraygray

Comentários (via Facebook)

comments

2 Comentários

  1. Eu assisti esse filme há algum tempo, e realmente não é dos melhores. Porém, eu acho que Whatever Works tem uma genialidade discreta, que poucos conseguem captar, e talvez por isso seja tão desvalorizado. Acho que a sua simplicidade deve ser aplaudida, assim como sua despretensão. Este é um daqueles filmes, que ao meu ponto de vista, não foi feito com a intenção de estourar bilheterias, mas sim para passar uma mensagem de forma dinâmica – e isso é admirável.

    A Macho Alfa

  2. Gosto bastante deste filme. Chego a dizer que é um dos meus favoritos da filmografia do diretor. Claro, vi poucos filmes do diretor. Enfim, me divertiu bastante. Acho isso válido.

    abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *