UM SONHO DE LIBERDADE (1994)

Um Sonho de Liberdade | The Shawshank Redemption | dir. Frank Darabont | EUA | ★★★★★

Um Sonho de Liberdade Poster

Já está virando tradição eu pedir “DVD de um filme especial para a pessoa que vai me presentear” no amigo secreto da empresa onde trabalho. Neste ano faturei esse “Um Sonho de Liberdade”. De fato, trata-se de uma obra muito popular, quase uma unanimidade quando o assunto é “filme especial”, o que pode ser comprovado se levarmos em consideração o fato de estar há anos como título com melhor pontuação no IMDB (no momento em que escrevo esse texto, a média está em 9,3). O mais curioso é que “Um Sonho de Liberdade” não fez grande sucesso quando estreou nos cinemas há quase 20 anos, sendo depois redescoberto em home vídeo. Narra a saga de Andy Dufresne (Tim Robbins), banqueiro que é condenando a prisão perpétua nos anos 40 por assassinato de sua esposa e amante. Na prisão em que ele viverá por décadas, ele conhece a sua nova realidade de muito trabalho e violentas investidas do grupo de homossexuais. Inicia amizade com o veterano Red (Morgan Freeman), que narra a história de maneira edificante. Por ser inteligente, Andy vai conquistando regalias dentro da prisão, que ele utiliza para fazer a diferença na vida de seus colegas detentos. O resto do filme, apesar de ser do conhecimento de muita gente, eu prefiro não revelar muito, mas já adianto que é surpreendente e bem construído, amarrando todas as informações que são jogadas ao longo da história. Darabont funciona melhor no texto, baseando-se no conto “Rita Hayworth and Shawshank Redemption”, de Stephen King. Ele fará outra adaptação de King ambientada em penitenciária alguns anos mais tarde em “À Espera de um Milagre” (1999), tão adorado quanto. Mesmo com um leve toque no maniqueísmo e ameaçando cair no melodrama barato no decorrer do tempo, “Um Sonho de Liberdade” ganha força imensurável na sua meia-hora final. Sucesso justificado.

Resumo
Data
Título
Um Sonho de Liberdade
Avaliação
51star1star1star1star1star

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Quando vi que era o primeiro colocado do IMDb eu corri para assistí-lo (tem alguns anos isso) e achei um belo filme também, mas talvez as altas expectativas não tenham me feito adorá-lo tanto como ele é adorado ao redor do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.