WAJMA (2013)

Wajma | dir. Barmak Akram | Irã | ★★★★

37ª Mostra Internacional de São Paulo

Wajma Poster

O letreiro inicial de “Wajma” já nos dá o alerta: trata-se de um filme baseado em muitas histórias reais. De um modo geral, fala sobre as consequências de uma escolha feita numa cultura na qual a sujeição feminina prevalece. Não deixa de ser uma produção corajosa, que questiona os valores de uma sociedade inteira, o que muito me lembra o também polêmico “Cairo 678” (2010), com o diferencial de ser menos panfletário. A personagem central é Wajma (Wajma Bahar), uma garota de 19 anos que acaba de passar no vestibular para cursar Direito. Ela começa a se envolver com Mustafa (Mustafa Abdulsatar), um garçom seis anos mais velho que ela conhece por intermédio de seu irmão. Num dos encontros que ela mantém às escondidas com o rapaz, Wajma perde a virgindade. Ela acaba engravidando, um problema imensurável na cultura árabe. Mustafa não recebe bem a notícia e diz que sua outrora musa não era mais virgem quando se entregou a ele. Agora, Wajma terá que enfrentar sozinha a reação violenta de seu pai. Uma das coisas que eu não tenho como fugir é que, quando entro no cinema, estou praticamente vulnerável a tudo o que verei na tela. Em “Wajma”, eu fui cúmplice de todos os problemas que a protagonista teve de enfrentar. Mas o problema maior nem é esse. Eu me envolvo, me preocupo, sofro e por vezes sinto cada preço que a garota arcou. Em determinados casos, isso me custa muito. Eu saí do cinema completamente exausto, tamanha a carga da situação que me foi apresentada. Mesmo com valores tão repugnantes, o roteiro teve o cuidado de mapear as atitudes que o pai de Wajma teve.  Esse mesmo roteiro (escrito pelo diretor Barmak Akram) tem alguns problemas pontuais, como o certo descaso que Mustafa acaba sofrendo em determinados momentos. No entanto, de modo geral, institui a qualidade de uma produção que ainda conta com ótimas atuações naturalistas.

Resumo
Data
Título
Wajma
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

Um comentário

  1. Fala Adécio, blz? Eu já li outros comentários positivos em relação a este filme, mas eu estava com uma certa preguiça em relação ao tema. Teu texto me empolgou, principalmente quando você diz que o filme te envolveu bastante.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.