WEEKEND (2011)

Weekend | dir. Andrew Haigh | EUA | ★★★★

Weekend Poster

Weekend” tem sido muito apontado como um dos mais importantes filmes gays lançados neste ano por aqui. Verdade ou não, eu precisava tirar a prova dos nove e saber qual é a dessa produção. Continuo com minhas dúvidas. Não que esse verdadeiro lirismo apresentado por Andrew Haigh seja descartável. Muito pelo contrário. Logo de cara, já percebemos que o filme é de uma ternura ímpar, sem rodeios e, com elegância, irá firmar uma dinâmica extremamente realista e bem dosada. Russel (Tom Cullen) está na casa de seu amigo de infância e também seu compadre. Apesar de a reunião estar agradável, ele insiste que precisa ir embora. Antes de ir para casa, Russel vai dar uma volta em um bar gay para beber um pouco mais e ver se encontra alguém para terminar a noite juntos. Num momento de relance, troca olhares com Glen (Chris New). Até que os dois acabam na cama do apartamento do primeiro. A introspecção de Russel, que é retraído sexualmente por estar sempre em companhia de amigos e colegas heterossexuais, irá se chocar com a visão hedonista e atrevida de Glen. Entre discussões morais e idealizações de uma provável vida a dois, Russel e Glen aproveitarão o tempo que lhes resta antes de uma iminente despedida. A grande sacada da história, de imediato, é presenciar a forma bem desenvolvida que o casal protagonista irá ter. E, a partir daí, conseguiremos fazer um interessante paralelo entre as naturezas dos dois personagens. Apesar de “Weekend” ser um filme muito bem conduzido, temo que também não seja marcante. Muito disso por não investir num conjunto de fatores que poderiam influenciar na movimentação da história (um exemplo seria o preconceito, que fica pulverizado em duas cenas aleatórias). Sem mais delongas, vos digo que “Weekend” tem grandes qualidades, mas seu grande destaque se deve à uma disputa que ele ganha por W.O..

Resumo
Data
Título
Weekend
Avaliação
41star1star1star1stargray

Comentários (via Facebook)

comments

4 Comentários

  1. É uma história muito atraente e diferente. A estréia da série Looking 2 levou-me a aprender mais propostas sobre filme gay e eu realmente têm sido agradáveis surpresas.

  2. Achei Weekend um excelente filme. Também me fez lembrar de Antes do Amanhecer, mas a diferença é que em Weekend os personagens soam muito mais convincentes e reais. Os diálogos são excelentes e fazem tudo funcionar. Grata surpresa.

  3. Eu tive uma outra experiência com o Weekend, assisti sem esse título de “melhor filme gay do ano”, então justamente por isso foi uma grata e agradável surpresa. Mergulhei nos personagens, nos diálogos (adoro filmes de diálogos, e como você citou, o “Antes do Amanhecer” eu também gosto muito) e nos temas que o filme aborda, como por exemplo a diferença entre o ser e o parecer, seja parecer para a sociedade, para seu par ou até para si mesmo. Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.